Resguardando-se de sentimentos ruins

Resguardando-se de sentimentos ruins

 Resguardando-se de Sentimentos ruins

Sermão até chamado das “antíteses”, Jesus apresenta a lei da reconciliação contrária aos ressentimentos ruins.  Uma pessoa pode tipicamente pagar uma penalidade menor por sua ofensa ao buscar uma solução amigável em vez de esperar que a questão seja resolvida em um tribunal.

Texto Bíblico (Mateus 5.21-26).

Quando sentimentos ruins como os traumas e as feridas se formam

Durante o período de gestação

A vida começa no ventre materno. Nos nove meses de gestação, o feto encontra as condições ideais para o seu desenvolvimento. Ali está o princípio da vida: a criança é nutrida, recebendo oxigenação adequada, recebendo vida, enfim. No entanto, nove meses depois, ele é “expulso” da condição fetal, entrando na primeira fase de vida fora do útero. Nessa fase pode haver rejeição por parte da mãe. E a atitude materna em relação ao filho durante a gravidez é a mais forte influência que pode haver no comportamento do futuro da criança. É comprovado que a partir do sexto mês de gestação o sistema nervoso central do feto é capaz de receber, processar e codificar mensagens. Problemas sociais, conjugais e financeiros trazem uma carga sobre a mãe e como consequência reações de rejeição, medo, angústia e depressão. E como uma esponja, o bebê absorve tudo e isso certamente deixará sequelas em seu interior.

Durante a infância

Este período é muito rico, intenso, cheio de vida e aprendizado. A criança tem uma capacidade incrível de se alegrar, de exultar e de celebrar. A grande produção psíquica da infância é a fantasia. A fantasia é uma necessidade na fase da infância e um preparo para a vida. Na fantasia, vale tudo: é o reino do tudo é possível. O pensamento pode fazer todas as coisas. A fase de zero a seis ou sete anos de idade é a fase onde a personalidade humana é formada. Os fatores genéticos e ambientais serão responsáveis pela saúde emocional da vida do indivíduo. Situações como o desmame brusco, o nascimento de outro irmão, ser deixado em creches ou sozinho em casa podem ferir profundamente uma criança. Abusos sexuais, preferências, excesso de disciplina física, castigos mal dados, agressões verbais também são fatores que provocam traumas e feridas interiores. Na fase do período escolar, o fato de enfrentar uma situação totalmente nova e sem a presença de familiares, principalmente a da mãe, pode ser traumático. O primeiro dia de aula fica marcado em todos nós. É uma fase propícia para o desencadeamento dos traumas.

Durante a adolescência

A infância prossegue até os dez ou doze anos e vai se desdobrar na adolescência. Na adolescência, gradativamente vão se incorporando dados da realidade, e a pessoa passa da fantasia ao sonho. O sonho é diferente da fantasia porque começa a se revestir de realidade para tentar reintegrar-se a ela. Também na adolescência se processa uma nova crise que é a puberdade. Há uma mudança no esquema corporal, além de importantes mudanças no nível psicológico. O adolescente não é adulto nem criança. É na crise da passagem à fase de adulto jovem que ele vai ter que assumir responsabilidades sociais e profissionais. Ele passa a responder por suas atitudes e as consequências delas. O fato de tantas mudanças físicas e emocionais deixa o adolescente aberto a todo tipo de influência. É a fase onde todos os recalques e frustrações virão à tona. Muitas feridas e traumas se instalarão nesta fase.

Durante a vida adulta

Podemos dividir em duas fases o adulto jovem e a idade madura. adulto jovem passa dos sonhos aos projetos e estes são a sua grande produção. É na crise de responsabilidade que a realidade começa a funcionar como um filtro sobre as fantasias e sonhos, possibilitando que se transformem em projetos. Qual a diferença do sonho para o projeto? O sonho tem a ver com desejos e anseios, mas conta com poucos parâmetros para viabilizá-los. O projeto é algo ainda não alcançado, porém perfeitamente viável.  A idade adulta é a idade da realização. Isso não significa que o adulto tenha deixado suas fantasias, seus sonhos. Entretanto, não vive mais deles.

Artigo Relacionado  A Mordomia do Tempo

O indivíduo adulto trabalha e investe nos seus projetos até que eles se realizem.  Nesta fase, apesar de adulto, somos ainda seres sensíveis, e todo tipo de experiências difíceis que enfrentamos poderá trazer danos se não forem elaboradas. Muitas vezes (não é sempre) nessa fase, as coisas ruins que nos acontece estarão batendo em feridas do passado que ainda não foram fechadas e curadas. Somos então perseguidos por aquelas lembranças e ainda machucados por elas. Ainda tem a possibilidade de ocorrerem danos na vida adulta, devido a experiências sentimentais, profissionais, conjugais etc.

Durante o processo de crescimento é como se uma pessoa subisse a ladeira  do seu desenvolvimento. Enquanto se sobe a ladeira da vida, é tempo de fantasiar, sonhar e fazer projetos. Mas é também tempo de crises. No processo do ciclo vital, a oportunidade significa que vamos enfrentar as crises, que vamos vivê-las de fato, passar por elas e crescer. Precisamos estar conscientes que toda crise traz consigo oportunidades e perigos. Como perceber que há necessidade de ajuda:

Quando há lembranças de situações do passado, que ainda machucam quando se fala o pensa a respeito delas.

Quando se busca o crescimento espiritual e algo impede de prosseguir.

Quando não se consegue ter ou manter relacionamentos interpessoais em nível mais profundo.

Pessoas que, apesar de usar todos os recursos disponíveis (oração, jejuns etc.), ainda são atraídos pelo pecado. Isso acontece por não ter tido 38 Aconselhamento Cristão uma experiência que os levassem à necessária para a vitória, ou então por feridas e traumas do passado.

Quando o relacionamento com Deus não se aprofunda em termos de intimidade, amor, confiança, entrega etc. Sempre há dúvidas sobre o que Deus é e o que espera de nós.

Quando há evidência de alguns dos sintomas citados abaixo: desconfiança, mentira, intolerância, timidez excessiva, ira descontrolada, ciúme excessivo, homossexualismo, orgulho, depressão contínua, tristeza, indecisão, frustração, desesperança, auto piedade, adultério, solidão, influenciável, crítica e acusações.

A maioria das pessoas precisam de algum tipo de ajuda, e quando elas não conseguem, consequências podem ocorrer como as feridas. As feridas abrem brechas e fazem a pessoa suscetível ao inimigo com suas investidas e ciladas. No caso de uma adolescente que foi violentada, por exemplo, se não for ajudada, provavelmente se tornará uma prostituta. Crianças rejeitadas que, para se sentirem amadas, se tornam vítimas de abuso sexual. Crianças que sofreram espancamentos, abuso de disciplina verbal, críticas quanto ao seu papel de menino (a) por pais ou parentes próximos e do sexo oposto, poderá apresentar barreiras, e isto pode levá-la a tornar-se homossexual. As feridas travam as pessoas, inibem e impedem o desenvolvimento de dons e talentos.

As feridas abrem também o espírito para opressões demoníacas. Essas opressões trazem impulsos baixos e pecaminosos, como por exemplo: violência, roubo, impurezas sexuais, desejos lascivos, intuições ou pressentimentos negativos etc. As feridas trazem ou provocam distúrbios físicos (artrites, enxaquecas, úlceras, etc.). Cerca de 70% das doenças são de origem psíquica. Vêm pela falta de perdão, de confissão e abertura profunda (Tg. 5:16).

OBS: “[Mateus] 5.23,24 – Relações rompidas podem dificultar o nosso relacionamento com Deus. Se tivermos uma mágoa ou uma queixa contra um amigo, devemos solucionar o problema o mais breve possível.  [Mateus] 5.25,26 – Na época de Jesus, uma pessoa que não pudesse pagar sua dívida era lançada na prisão até que o pagamento fosse efetuado. A menos que alguém pagasse a dívida por ela, provavelmente morreria ali.

Artigo Relacionado  Exortações Finais na Grande Maratona da Fé

É um conselho prático para solucionarmos as diferenças com os nossos inimigos, antes que a ira deles venha a causar-nos maiores dificuldades (Pv 25.8-10). Você pode não entrar em uma discordância que o leve aos tribunais, mas até os pequenos conflitos podem ser mais facilmente resolvidos se as pazes forem feitas logo. Em um sentido mais amplo, esses versículos nos aconselham a agir rapidamente, procurando ter a paz com os nossos semelhantes, antes que sejamos obrigados a apresentar-nos perante Deus” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. Rio Janeiro: CPAD, 2004, p.1225).

Comentário de Joseph Benson

Mateus 5: 21-22 . Vocês já ouviram – ou seja, pelos escribas que recitam a lei, que foi dito por eles desde os tempos antigos ou pelos antigos, como e??e?? t??? a??a???? , pode ser adequadamente traduzido. Não matarás – Palavras que eles interpretaram apenas do ato exterior de assassinato; e quem quer que mate – ou seja culpado por esse ato, esteja em perigo ou detestável ao julgamento.

Para entender isso, é necessário observar que os judeus tinham, em todas as cidades, um tribunal comum de vinte e dois três homens, que antes do estabelecimento do governo romano na Judéia, tinham o poder da vida e da morte, na medida em que sua jurisdição se estendia, e podiam punir criminosos com estrangulamento ou decapitação. Isso foi chamado de julgamento, e o significado da cláusula é que esse criminoso deve ser punido capitalmente nos tribunais comuns do judiciário. Mas eu lhes digo: Qual dos profetas já falou assim? Sua língua era: Assim diz o Senhor. Quem tem autoridade para usar essa linguagem, senão o único legislador capaz de salvar e destruir? Todo aquele que está zangado com seu irmão – Com qualquer filho do homem, porque todos somos irmãos; sem uma causa – ou além disso causa mandados; estará em perigo de julgamento

Deverá estar sujeito a um castigo pior de Deus do que qualquer outro que seus tribunais judiciais comuns possam infligir. Deve-se observar que a palavra, aqui traduzida sem causa, e que pode ser traduzida de maneira imprudente ou imprudente, está faltando em algumas versões e manuscritos antigos e, ao que parece, não deve ser inserida, sendo “totalmente estranha para todo o escopo e teor do discurso de nosso Senhor. Pois, se ele havia proibido a ira sem causa, não havia nenhuma necessidade dessa declaração solene, digo-vos; pois os próprios escribas e fariseus disseram isso.

Mesmo eles ensinaram que os homens não devem ficar com raiva sem uma causa. Para que essa justiça não exceda a deles. Mas Cristo ensina que não devemos, por qualquer causa, ficar com tanta raiva que chamar qualquer homem de raca ou tolo. Por qualquer motivo, não devemos ficar zangados com a pessoa do pecador, mas apenas com o seu pecado . Mundo feliz, essa distinção clara e necessária foi completamente compreendida, lembrada e praticada. ” Wesley. Raca, significa um homem bobo ou um sujeito vazio e sem valor . homem vaidoso, usado Tiago 2:20 , parece ser uma tradução disso; pois, como Jerônimo observa, é derivado do hebraico rick, que significa vaidoso ou vazio. Estará em perigo do conselho

“Uma palavra que os judeus adotaram em sua língua e, dando-lhe um termo hebraico, sinédrio, a apropriou de seu conselho supremo, cuja tarefa era julgar nos assuntos mais importantes; por exemplo, em todos os assuntos relacionados à religião, como quando qualquer pessoa fingia ser profeta ou tentava inovar no culto estabelecido. Essa corte poderia, enquanto durasse a república, infligir as punições mais pesadas; particularmente apedrejamento, ou queimação, com chumbo derretido derramado na garganta do criminoso, depois que ele foi meio estrangulado. Macknight. Todo aquele que disser: Tu és tolo – Ou tu, vilão sem graça e perverso: assim a palavra tolo geralmente significa nas Escrituras: pois, como a religião é a mais alta sabedoria, o vício deve ser considerado a loucura mais extrema : o significado aqui é: Quem quer que seja ofensas abertas e censuras contra qualquer homem, estarão em perigo de fogo do inferno

Artigo Relacionado  A Arca da Aliança

Deve ser antipáticos para uma geena de fogo, isto é, por uma figura comum do discurso, “desagradável para o fogo do vale” de Hinnom ”, desagradável a um grau de punição futura, que pode ser adequadamente representada por esse incêndio. Do vale de Hinom, também chamado Topeta, veja notas em Levítico 18:21 ; 2 Reis 23:10 ; Isaías 30:33 . Foi a cena do culto detestável de Moloch, aquele ídolo horrível dos amonitas, ao qual os israelitas queimaram seus filhos vivos como sacrifícios. “Mais tarde, foram mantidos incêndios contínuos neste vale para queimar as carcaças não enterradas e a sujeira da cidade, que, sendo assim poluídas, poderiam ser impróprias para as abominações religiosas semelhantes.

Os judeus, pela perpetuidade desses incêndios, e para expressar o máximo desprezo pelos sacrifícios oferecidos a Moloch neste vale, fizeram uso de seu nome para significar o inferno. Por isso, nossos tradutores deram a Tophet, ou geena, seu significado metafórico na presente passagem, enquanto que ele deveria ter tido seu significado literal. Para nosso Senhor, pretendendo mostrar aos seus ouvintes que o castigo da ira sem causa, discursos desdenhosos e nomes abusivos, na vida futura, terá uma proporção da culpa que há nesses pecados; e não encontrando nenhum nome na linguagem dos homens com a qual esses diferentes graus de punição pudessem ser adequadamente expressos, ele os ilustrou pelos castigos com os quais os judeus estavam familiarizados. ”

OBS: “A verdadeira batalha pela lei do Reino não está nas simples ações externas ou efetuação de movimentos, pouco importando quão detalhados sejam; antes, a batalha é ganha ou perdida no coração, onde reside à vontade. […] A maioria dos pecados é premeditada; requerem-se ações anteriores e às vezes drásticas para evitar que a semente dê raiz e produza uma colheita amarga. Assim, os remédios de Jesus parecerão extremos, mas a malignidade tem de ser isolada e removida o quanto antes, para que haja a melhor chance de recuperação. A prevenção é suprema. […] A proibição no versículo 21 não é a matança em geral, mas assassinato, matança que é contrária à lei. Jesus intensifica a lei indo ao âmago da questão: a vontade humana. O assassinato começa com a raiva; a pessoa tem de lidar com a raiva a fim de evitar o assassinato” (ARRINGTON, French L; STRONSTAD, Roger (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.45).

A Importância da Reconciliação

(Mateus 5:23-24)

Os discípulos devem procurar na primeira oportunidade a reconciliação com um irmão ou irmã que tem algo contra eles, mesmo que para fazer isso tenha que interromper negócios importantes. Falando ao contexto de Seus dias, Jesus disse que os discípulos deveria buscar reconciliação mesmo que isso significasse parar na metade a oferta de sacrifícios no templo de Jerusalém.

Essa interrupção era expressiva uma vez que os ouvintes originais de Jesus (situados bem longe de Jerusalém) teriam de abandonar sua oferta no altar, viajar alguns dias para chegar à Galileia e buscar reconciliação, e então retornar à Judeia para completar o sacrifício. Tal é a prioridade da reconciliação.

Conclusão

Em vez de contradizer ou subverter os ensinos do antigo testamento, Jesus se opôs a interpretações equivocadas dos escribas e fariseus. Estes homens se preocupavam apenas com questões superficiais, mas Jesus foi mais profundo do que eles. argumentou que a lei proíbe não apenas o homicídio em si, mas também atitudes homicidas. Semelhantemente, temperamentos violentos são condenados da mesma forma que ações violentas.

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.