Vivendo em constante vigilância

Vivendo em constante vigilância

VIVENDO EM CONSTANTE VIGILÂNCIA

 

Na verdade, mesmo com oração, a ausência de vigilância é terreno propício para que a tentação encontre brechas e nos conduza à derrota espiritual.

 

TEXTO BÍBLICO

(Mateus 26.36-41)

V, 36- Então, chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar.

V, 37- E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito.

V, 38- Então, lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até à morte; ficai aqui e vigiai comigo.

V, 39- E, indo um pouco adiante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passa de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.

V, 40- E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então, nem uma hora pudeste vigiar comigo?

V, 41- Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.

 

A ESCATOLOGIA BÍBLICA APONTA PARA A VIGILÂNCIA

Muitos serão surpreendidos pela vinda do Senhor. Embriagados pelas ânsias desta vida, teimam em viver como se a vinda de Jesus fosse a mais remota das hipóteses.

À semelhança daqueles escarnecedores referidos pelo apóstolo Pedro, perguntam: “Onde está a promessa da sua vinda?” O que tais crentes não sabem é que já estamos em plena era escatológica; vivemos os últimos dias desta dispensação.

Em 1 Tessalonissensses 5.6, diz: “Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios”. “Vigiar” (gr. gregoreo) significa “manter-se acordado e alerta”. O contexto (vv. 4-9) indica que Paulo não está exortando seus leitores a ficarem à espera do “Dia do Senhor” (v. 2), mas a estarem espiritualmente preparados para escapar da ira do Dia do Senhor (cf. 2.11,12; Lc 21.34-36).

Se quisermos escapar da ira de Deus (v. 3), devemos permanecer espiritualmente acordados e moralmente alertas, e devemos continuar na fé, no amor e na esperança da salvação (vv. 8,9; ver Lc 21.36; Ef 6.11).

Visto que os fiéis serão protegidos da ira de Deus, por meio do arrebatamento, não devem temer o “Dia do Senhor”, mas “esperar dos céus a seu Filho… Jesus, que nos livra da ira futura” (1.10), esperar o arrebatamento que virá antes do dia do Senhor.

A palavra “sóbrio” (gr. nepho) tinha dois significados nos tempos do NT. O significado primário e literal, conforme explicam vários léxicos do grego, é “um estado de abstinência de vinho”, “não beber vinho”, “abster-se de vinho”, “estar totalmente livre dos efeitos do vinho” ou “estar sóbrio, abstinente de vinho”.

A palavra tem um segundo sentido,  metafórico, de alerta, vigilância ou domínio próprio, i.e., estar espiritualmente alerta e controlado, exatamente como alguém que não toma bebida alcoólica.

O contexto deste versículo deixa ver que Paulo tinha em mente o significado literal. As palavras “vigiemos e sejamos sóbrios” são contrastadas com as palavras do versículo seguinte: “os que se embebedam embebedam-se de noite” (v. 7).

Sendo assim, o contraste que Paulo fez entre nepho e a embriaguez física indica que ele tinha em mente o sentido literal: “abstinência do vinho”. Compare com a declaração de JESUS a respeito dos que comem e bebem com os ébrios, e assim são apanhados desprevenidos na sua volta (Mt 24.48-51).

 

VIGIAI E ORAI…

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26:41 – Mc 14.38).

Muitos usam esse versículo para darem base à vida pecaminosa que querem leva. Alegam que pecam porque a carne é fraca. Sim, de fato Jesus disse isso, mas disse também, que o espírito está pronto.

O nosso espírito estará sempre pronto, se estivermos levando uma vida de oração e vigilância. É no nosso espírito que armazenamos a Palavra de Deus, e é através da Palavra de Deus que nos fortalecemos e desejamos orar, vigiar, e estar sempre atentos.

Quando a Palavra de Deus está escondida em nossos corações, sabemos o que é certo e o que é errado, e decidimos não pecar contra o Senhor (Salmo 119.11).

Portanto, se quisermos vencer essa constante luta , devemos nos vestir da armadura de Deus que está em Efésios 6.13 – 18. Essa armadura nos fará forte o suficiente para vencermos os dardos inflamados do maligno. É a arma com a qual venceremos esse dardo, juntamente com o escudo da fé.

É pela fé na gloriosa Palavra de Deus que resistimos ao diabo e ele foge de nós como disse Tiago na sua epístola.

Vigiemos, pois! Quem estivermos alimentando mais, esse será o vencedor. Se estivermos alimentando mais a nossa carne, no sentido de buscarmos somente as coisas dessa terra, os prazeres momentâneos e passageiros, com certeza ela prevalecerá.

Mas se tivermos alimentando o nosso espírito e a cada dia nos enchermos da Palavra de Deus, orando e vigiando, com certeza seremos mais do que vencedores, pois escolhemos estar em Cristo. A luta na verdade existe, mais somos nós que decidimos quem vencerá: se a carne ou o espírito.

Uma coisa que acontece muitas vezes é que queremos olhar para a vida dos outros, e vigiar o gesto e atitudes dos outros e esquecemos a nossa própria vida. Mas Cristo nos diz: “E olhai por vós, para que não aconteça que o vosso coração se carregue de glutonaria, de embriaguez, e dos cuidados da vida, e venha sobre vós de improviso aquele dia” (Lc 21.34).

Se estivermos olhando para nossas próprias vidas, concertando aquilo que podemos concertar, vigiando por nós mesmo, não buscando as coisas da terra, as coisas naturais, com certeza, quando Cristo vier buscar a sua igreja, estaremos de pé diante Dele, e subiremos com o Cordeiro e para sempre com Ele reinaremos.

Caso contrário, se o nosso coração estiver cheio dos cuidados dessa vida, aquele dia nos pegará de surpresa, e pagaremos muito caro, por ter tido a oportunidade de olhar, vigiar e orar, mas por escolha própria termos negligenciado esse mandamento tão glorioso.

Podemos citar um grande exemplo de vigilância. Um homem que vigiou para que os inimigos não lhe roubassem algo muito importante, foi Gideão.

Em Juizes 6.11 nos diz que: Gideão estava no lagar, malhando o trigo, para salvá-lo dos midianitas. Ou seja, Gideão estava em total vigilância. Ele estava cansando de sempre perder a colheita para os midianitas, então decidiu vigiar e guardar o trigo, para que os inimigos não o roubassem.

Portanto, se até agora você tem perdido algo, você tem sido roubado por satanás, (pois essa é a função dele, roubar, matar e destruir) é porque você não tem vigiado, e quem não vigia se torna presa fácil diante do inimigo. Se você já está cansado de tantas derrotas e fracasso, dê um basta nisso nesta hora e se levante em vigilância, com autoridade e não permita mais que satanás roube os teus planos e sonhos.

Gideão usou uma estratégia fantástica! Ele foi malhar o trigo no lagar, onde jamais os inimigos iam achar, pois o lagar era o lugar de pisar uvas, e não trigo. Jamais os midianitas achariam que o trigo estivesse no lagar. Se você guardar a Palavra de Deus em seu espírito, jamais o inimigo a roubará de você.

Observe que vigiamos e guardamos o que tem valor para nós. Gideão estava guardando o trigo (símbolo da Palavra), seu alimento diário, pois se os inimigos o roubassem ele iria passar fome. Se para você a Palavra de Deus tem importância, você vai vigiar para que a ave de rapina (satanás) não a roube de você.

Use a Palavra de Deus, a oração e a vigilância como os únicos pontos de estratégia que te fará vencer, e fará com que o inimigo fuja derrotado e envergonhado. Pois Deus quer te levantar como fez com Gideão, para dar vitória ao Seu povo, mas é necessário que você esteja na posição de vigilância, como Gideão estava.

Se Gideão tivesse malhando o trigo no lugar de sempre, com certeza os inimigos o roubaria. Isso nos mostra que se tivermos cometendo os mesmos erros, com certeza satanás virá e nos arrasará.

Iniquidade e esfriamento do amor.

Em Mateus 24.12, Jesus mencionou mais dois alarmantes sinais, um decorrente do outro: ‘E por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará’. E o que assusta, neste duplo sinal, é mais uma vez a palavra ‘muitos’, cujo significado é ‘quase todos’.

Não foi por acaso que Jesus ensinou: ‘Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela’ (Mt 7.13). A cada dia, a aceitação da verdade da Palavra de Deus torna-se mais difícil.

Doutrinas que outrora, ao serem ensinadas, geravam temor, têm levado muitos crentes a fazerem questionamentos. Vemos que os mensageiros mais conservadores — mas conservadores do ponto de vista bíblico (2 Tm 1.13,14) — são vistos por muitos como extremistas, descontextualizados ou politicamente incorretos.

Isso, com certeza, é reflexo do dúplice sinal em questão. 0 amor ao mundo faz-nos perder o amor a Deus (Tg 4.4; 1 Jo 2.15-17). E muitos líderes, à semelhança de Demas (2 Tm 4.10), perderão a visão espiritual, nesses últimos dias.

Os cultos, que deveriam ter como objetivos o louvor a Deus e a exposição da Palavra (1 Co 14.27), se transforma-no — como já vem ocorrendo — em programas de auditório, shows, com muito entretenimento e pouco ou nenhum quebrantamento de espirito nu presença do Senhor.

Esse sinal indica que, nos últimos dias, o mundo se o tornará tão religioso, e a igreja — quer dizer, uma boa parte dela — tão mundana, que não saberá onde começa um e termina o outro. Sabendo que tudo isso aconteceria, Jesus alertou: ‘Vigiai, pois, a todo tempo, orando, para que possais escapar… (Lc 21.36, ARA).

E, como escapar? O caminho é dar ouvidos à Palavra de Deus e se arrepender, a fim de que o nosso amor não se esfrie (Ap 2.4,5) (ZIBORDI, Ciro 5, Etal. Teologia Sistemática Pentecostal. 1.ed. Rio de janeiro: CPAD, 2008, pp. 493-94).

CONCLUSÃO

Não sabemos quando o nosso Senhor voltará para nos buscar. Sabemos que Ele virá, por isso, se estivermos em vigilância estaremos prontos.

Não sabemos a que horas Satanás vai nos tentar e lançar as suas setas. Mas devemos está vigiando para quando ele atacar, venhamos nos levantar em nome do Senhor, e o expulsar, em nome de Jesus.

A vigilância é o veiculo que nos livrará da tentação e nos conduzirá em oração aos braços do pai.

Deixe seu comentário
Vivendo em constante vigilância
Tagged on: