Nossa luta não é contra carne e sangue

Nossa luta não é contra carne e sangue

NOSSA LUTA NÃO É CONTRA CARNE E SANGUE

 

Nesta lição temos  que lembrar que nossa luta não é contra carne e sangue. Nosso inimigo é organizado. Não pense você que lutamos contra uma algazarra. Os principados e potestades são a organização do diabo.

 

TEXTO BÍBLICO

(Efésios 6.10-12)

V, 10 – No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.

V, 11 – Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo;

V, 12 –  porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.

 

A CAMINHADA CRISTÃ COMO UMA GUERRA

(Efésios 6:10-17).

Em toda esta divisão da epístola muito se disse sobre a vida cristã prática. Neste parágrafo o andar do cristão foi descrito como uma batalha, um conflito mortal no qual ele está alistado contra o poder de Satanás e suas hostes.

1) Sendo Fortes no Senhor – a Armadura Completa de Deus. 6:10-17. Sendo esta caminhada uma guerra, como foi aqui descrita, o cristão deve estar preparado e equipado. Esta passagem que trata de toda a armadura de Deus mostra que provisão maravilhosa Jesus fez para os seus guerreiros.

V, 10.

Quanto ao mais. Aqui estão exortações gerais que concluem a epístola. Irmãos meus (E.R.C.). Paulo faz seus leitores se lembrarem do seu relacionamento com eles no Senhor. Sede fortalecidos no Senhor. O Senhor Jesus disse, “Sem mim, nada podeis fazer” (Jo. 15:5; cons. também Fp. 4:13). E na força do seu poder.

Três palavras foram usadas no versículo para o termo força. Primeiro, foi usado o verbo no imperativo, sede fortalecidos ou capacitai-vos; depois a palavra para força e, finalmente, a palavra para poder – na força do seu poder.

V, 11.

Revesti-vos de toda a armadura de Deus. Ainda que Deus a tenha providenciado, o indivíduo cristão tem a responsabilidade de vesti-la; isto é, ele deve conscientemente se apropriar do poder que o Senhor Jesus Cristo põe à sua disposição. Toda a armadura de Deus.

A armadura está descrita em detalhes, como também os inimigos que o crente tem de enfrentar. Para poderdes ficar firmes. Sem esta armadura de Deus, o cristão não tem capacidade de permanecer firme.

Aquele que está assentado com Cristo nos lugares celestiais e andando neste mundo tem também de tomar agora uma posição contra as ciladas – os métodos ou estratagemas – do diabo.

Observação: “Jesus disse que era odiado sem motivo. Os verdadeiros filhos de Deus são revestidos de luz, de poder e do Espírito Santo, enviado lá dor trono eterno de Deus.

O mundo não nos conhece porque não conheceu a Ele, de modo que o Diabo reúne todas as suas forças para batalhar contra Jesus e os seus santos. Porém é maior aquEle que está em nós que tudo o que está contra nós, O Senhor batalhará por nós, ainda que para isso Ele precise enviar todos os exércitos do céu.

Quando o profeta Eliseu estava cercado pelos inimigos do Senhor, o servo dele foi tomado de pavor, porque tinha certeza de que eles seriam aniquilados. Ele levantou os olhos a Deus e disse: ‘Peço-te que lhe abras os olhos, para que veja’. Os olhos dele foram abertos, e ele olhou em volta e viu os exércitos do Senhor com cavalos e carros de fogo. Deus enviara toda a artilharia do céu para proteger apenas um profeta e o servo deste. Deus fará o mesmo por nós, se clamarmos a Ele” (ETTER, Maria Woodworth. Devocional. Série: Clássicos do Movimento Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, pp.142-43).

V, 12.

Porque a nossa luta não é. O motivo porque precisamos de toda a armadura de Deus. Contra o sangue e a carne. Os israelitas sob o comando de Josué tiveram de lutar contra a carne e o sangue a fim de conquistar a terra de Canaã.

A nossa guerra é espiritual e não física. E, sim, contra os principados. Não uma comparação, mas uma negação absoluta. Nas hostes de Satanás encontramos diferentes categorias. Não é possível fazer separações distintas entre os diversos tipos de inimigos aqui mencionados. Contra os dominadores deste mundo tenebroso.

Literalmente, os príncipes do mundo destas trevas. Contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. Esta é a última das cinco vezes em que en tois epouraniois, “nas regiões celestiais”, ocorre na epístola.

Observação

Temos que lembrar que nossa luta não é contra carne e sangue. E isso quer dizer a Igreja e o mundo. Muitos irmãos vivem em pé de guerra, mas eles não sabem na verdade quem é, de fato, o seu inimigo. O diabo cria muitas situações para nos dividir. Aliás a divisão é uma das suas armas prediletas.

Devemos estar atentos e nos esforçarmos diligentemente por manter a unidade do Espírito no vinculo da paz. Nosso inimigo é organizado. Não pense você que lutamos contra uma algazarra. Os principados e potestades são a organização do diabo.

Assim como no mundo temos os país, ducados, principados, estados e nações o diabo também se organiza. E quando lutamos, lutamos contra essas hostes da nossa região. Interessante notar que cada lugar tem uma certa característica, pecados, cultura. Isso, em grande parte, mostra quais são os demônios e espíritos malignos que atuam naquela região, de acordo com a sua potestade.

V, 13.

Portanto. Sendo os nossos inimigos exatamente como foram descritos. Tomai toda a armadura. Novamente a responsabilidade humana enfatizada. Para que possais resistir. Observe que a passagem fala de ambos, resistir e estar firme. O primeiro é a capacidade de vencer a luta, manter a posição; o último mostra o resultado do conflito.

Observação: “No Verso 6.13, Paulo repete a exortação previamente enunciada em 6.11 (‘Portanto, tomai toda a armadura de Deus’)-desta vez, em vista de 6,1.2, isto é, das hostes de Satanás que estão envolvidas na guerra espiritual. Uma palavra diferente para ‘vestir’ (analabete) foi usada aqui, embora em 6.11 tenha sido utilizado o termo endysasthe (significando ‘estar vestido com’). Analabete significa ‘tomar’ de modo resoluto para que, mesmo debaixo do ataque mais rigoroso, o crente posso resistir ao inimigo e ‘estar firme’ em sua posição.

V, 14.

Estai, pois, firmes. Neste e nos versículos seguintes a armadura está descrita em detalhes. Todas essas coisas falam num certo sentido do próprio Senhor Jesus Cristo, que é a nossa defesa. Cingindo-nos com a verdade. Aquele que tem os lombos cingidos está preparado para a atividade (cons. I Pe. 1:13). Da couraça da justiça. Cons. Is. 59:17. 15. Calçai os pés.

Grande parte da linguagem desta seção foi tirada de diversas passagens do V.T. (cons. Is. 52:7). A preparação. Isto é, aquilo que nos prepara. Isto pode corresponder aos calçados ou botas. Do evangelho da paz. As boas novas caracterizadas pela paz ou resultando na paz.

Observação: Paulo, por três vezes, exorta os crentes a ‘estarem firmes’ (6.11,13,14). Com isso, quer dizer que os crentes e a Igreja devem permanecer constantes e inabaláveis, ‘estando firmes’ quando a batalha espiritual for intensa, sustentando sua posição quando o conflito estiver se aproximando de seu final, sem serem ‘deslocados ou abatidos, porém mantendo-se firmes e vitoriosos em seus postos’ (Salmond, 3.385).

Observe que diferentes aspectos de ‘estar firmes’ são enfatizados durante a passagem (6.10-20). Devemos ‘estar firmes’ (6.14a), na força do poder de Cristo (6.10), contra as ciladas do Diabo (6.11), com nossa armadura firmemente colocada (6.11a, 13a) e em oração (6.18-20) (STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2003, p.1266).

V, 16.

Embraçando sempre o escudo da fé. Genitivo de aposição; isto é, o escudo que consiste da fé ou é a fé. Os dardos inflamados do maligno.

A palavra maligno está no singular è sem dúvida no Efésios (Comentário Bíblico Moody),  masculino, não no neutro – portanto o maligno – isto é, o próprio Satanás. Toda a vestimenta de um soldado romano foi apresentada nesta passagem, e as diversas partes foram aplicadas espiritualmente.

V, 17.

Tomai também o capacete da salvação. Novamente, o capacete que é a salvação. A espada do Espírito. Não o mesmo tipo de genitivo como o anterior; talvez um ablativo de fonte ou origem. Isto é, a espada fornecida pelo Espírito. Que é a palavra de Deus.

A palavra de Deus é uma espada penetrante. Aqui foi usado hrêma, “palavra” com o significado de pronunciamento. Em passagem semelhante, em Hb. 4:12, foi usado logos, “palavra” com o significado de conceito ou idéia. As Escrituras são ambos, Rhêma e logos.

Todas as partes da armadura mencionadas acima, até agora são partes defensivas. A espada do Espírito é a única arma ofensiva, além de defensiva. Efésios (Comentário Bíblico Moody). Adaptação: https://files.comunidades.net/pastorpatrick/Efesios_Moody.pdf

Observação: A espada é a única arma de ataque nesta descrição da armadura divina. Existem momentos em que precisamos de tomar uma atitude ofensiva contra Satanás. Quando somos tentados, precisamos confiar na verdade, que é a Verdade de Deus – A Sua Palavra.

 

UMA GUERRA INTERNA

Em nossa guerra interna a nossa carne é o nosso inimigo. Não subestime a sua carne!

O apóstolo Paulo descreve bem essa maldade que está dentro de todos nós e no fim do capítulo 7 ele declara: “Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo” (Romanos 7:18).

Esse não é uma característica específica de Paulo. Todos nós somos totalmente corruptos! Em nossa carne não habita bem algum! Tal é essa guerra que vemos em 2 Coríntios a descrição das fortalezas, da altivez e dos sofismas: “Porque as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; Destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo” (2 Coríntios 10:4-5).

A carne é inimiga do Espírito e por consequência se opõe ferrenhamente a Deus e a sua obra. O resultado são as fortalezas, conselhos e altivez. A carne utiliza de todos os meios disponíveis para obscurecer o conhecimento de Deus aos homens. E o diabo, utilizando-se dessa ferramenta, estabelece as fortalezas.

A nossa carne é tão terrível e pecaminosa! Como vencê-la? “Digo, porém: andai no Espírito e jamais satisfareis à concupiscência da carne” (Gálatas 5:16).

A única forma de vencer a carne é através de um viver diário no Espírito. Essa é uma luta que deve ser travada e vencida todos os dias.

Todos os dias devemos nos oferecer como ovelhas mudas diante de nossos tosquiadores. Negar nossas vontades, desejos, sonhos e escolhas para que a sublimidade da vida de Deus habite em nossa vida. E isso só será possível se nos esforçarmos dia a dia a voltarmos ao nosso espírito em todo o tempo em oração para termos comunhão com Jesus.

Assim toda fortaleza, altivez e conselhos serão destruídos pela poderosa mão do Senhor! Glória a Deus que nos concedeu seu filho Jesus totalmente suficiente para vencer a nossa carne!   http://www.blogcomcristo.com/2013/04/a-armadura-de-deus-parte-1.html

CONCLUSÃO

Quando tratamos acerca da guerra espiritual devemos atentar, em principio, para alguns pontos básicos que causam derrota aos irmãos.

O primeiro erro é pensar que essa guerra não existe, algo bem comum. Outro erro é quando já temos conhecimento de sua existência, mas vivemos alheios a ela. Se estamos nesse patamar já estamos derrotados.

Também devemos atentar para não entrar nessa guerra sem as armas corretas. Se isso acontece poderemos sucumbir aos ardis e artimanhas de satanás, que está a todo tempo buscando a quem tragar.

Referências

– Bíblia de Estudo Palavra Chave (ARC)

– A Bíblia de Estudos das profecias. E.R.A.

– Dicionário Online

– Apontamentos Teológico do Autor

Deixe seu comentário
Nossa luta não é contra carne e sangue
Tagged on: