Edificados sobre o fundamento dos Apóstolos e dos Profetas

Edificados sobre o fundamento dos Apóstolos e dos Profetas

Edificados sobre o Fundamento dos Apóstolos e dos Profetas

Na verdade, os apóstolos e profetas são os que lançam os fundamentos e o fundamento é Cristo que está neles.  Eles não podem simplesmente lançar e sair como alguém que lança concreto no alicerce de uma casa. O exemplo destes homens é o próprio concreto que é lançado para que a igreja cresça sobre este exemplo de vida em Cristo assim como foi com Jesus.

A Rocha sobre a qual está edificada a igreja é Cristo. Como diz Paulo “ninguém pode lançar lançar outro alicerce, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.” (1Co.3.11). O ensino de Jesus nos foi transmitido por meio de seus apóstolos, os quais receberam autoridade para tanto, como está registrado em Mateus 28.16-20 e João 20.23, e aos quais a igreja primitiva reconheceu como autoridade, pois “perseveravam no ensino dos apóstolos” (At.2.43). Por isso temos a expressão “fundamento dos apóstolos”. 

Texto Bíblico (Efésios 2.20-22; Mateus 7.24-27)

Uma Linguagem Tipológica do Santuário no Antigo Testamento

1 – A tipologia é um tipo especial de simbolismo. (Um símbolo é algo que representa outra coisa.) Podemos definir um tipo como um “símbolo profético” porque todos os tipos são representações de algo ainda futuro. Mais especificamente, um tipo nas Escrituras é uma pessoa ou coisa no Antigo Testamento que prenuncia uma pessoa ou coisa no Novo Testamento. Por exemplo, o dilúvio dos dias de Noé (Gênesis 6-7) é usado como um tipo de batismo em 1 Pedro 3:20-21. A palavra para tipo que Pedro usa é figura.

A – A Tipologia é o estudo de figuras e símbolos bíblicos, especialmente de cerimônias e ordenanças do Velho Testamento que prefiguram a Dispensação da Graça e as coisas celestes.

B – Um tipo é uma semelhança divinamente ordenada pelas quais: pessoas; objetos; e eventos celestiais os são demonstrada pelos terrestres. Porém para uma coisa constitua tipo de outra, a primeira não só deve ter uma semelhança da segunda, mas, na sua instituição original, deve ter sido determinado que tivesse esta semelhança.

C – Um antítipo é aquela coisa celestial ou a realidade prefigurada pelo tipo.

2 – Tipos

– O apóstolo Paulo escreve em 1 Coríntios 10.6: “…e estas foram-nos feitas em figura…”. A palavra grega tupos, aqui traduzida por “figura”, tem o sentido de “padrão”, “ilustração”, “exemplo” ou “tipo”. Em 1 Coríntios 10.11, Paulo observa: “Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso…”. O quê? Neste caso, Paulo se refere a eventos relacionados ao êxodo no Antigo Testamento. Assim, um tipo é um padrão bíblico, ou uma ilustração bíblica, normalmente extraída do Antigo Testamento, que assume a forma de padrões relacionados a pessoas, acontecimentos ou coisas.

Santuário ou Tabernáculo

Após o povo hebreu sair do Egito, aventurar pelo deserto, atravessar o mar e receber a Lei em duas Tábuas de Pedra, a seguinte ordem foi dada por Deus: “E me farão um santuário para que possa habitar no meio deles” (Êxodo 25:8. Moisés coordenou a construção do santuário seguindo instruções específicas de Deus: “Vê, pois, que tudo faças segundo o modelo que te foi mostrado no monte” (Êxodo 25:40). Este santuário possuía dois compartimentos. O primeiro chamava-se o “Santo Lugar” . Nele encontrava-se o “candeeiro, a mesa e a exposição dos pães”. O segundo compartimento chamava-se “Santo dos Santos” (Hebreus 9:1-4), o qual pertencia um altar de ouro para o incenso (representando as orações de todos os santos segundo

Apocalipse 8:3). Também havia a Arca da Aliança com uma tampa que se chama Propiciatório (que representa o trono de Deus segundo Êxodo 25:21.

Continuamente (todos os dias), os sacerdotes entravam no “Lugar Santo” para ministrar os serviços sagrados. Mas no segundo compartimento, no “Santo dos Santos”, somente o sumo-sacerdote entrava, uma vez por ano. Diariamente, faziam-se sacrifício, um cordeiro era oferecido pela manhã e outro, ao por do sol. Uma vez por ano, era realizado uma cerimônia chamada “Dia da Expiação”, conhecida pelos judeus como “Dia do Perdão” e ocorria no décimo dia do mês sétimo. Era feita uma santa convocação e todos afligiam-se a alma, pois o sumo-sacerdote fazia expiação pelos pecados do povo. Um dos animais ficava vivo e levado ao deserto por um homem escolhido, levando simbolicamente, todos os pecados para terra solitária.

Artigo Relacionado  O Altar do Holocausto

“Quase todas as coisas se purificam com sangue”. Isto dá a entender que o santuário terrestre era, dessa forma, purificado. Surge, então, o título dado pelos cristãos contemporâneos, para esse dia como sendo o “Dia da Purificação”.

Nos dias dos Reis

Com a reforma religiosa do rei Josias e a centralização do culto passou ao Templo de Jerusalém. Santuário então passou a designar o lugar mais sagrado do Templo de Jerusalém, onde estava guardada a Arca da Aliança.

OBS: ARGUMENTO BÍBLICO: O autor de Hebreus afirma a existência de um santuário celestial, perfeito, não feito por mãos humanas, mas erigido pelo próprio Deus. Apresenta, também, Jesus Cristo, como ministro ou sumo-sacerdote do verdadeiro tabernáculo. Hebreus 8:1-3 e 9:11. “Porque Cristo não entrou em santuário feito por mãos, figura do verdadeiro, porém no mesmo céu, para comparecer por nós, diante de Deus”. Hebreus 10:24.

O Santuário de Deus numa Linguagem Literal no Novo Testamento

1 – “Essencialmente, a igreja representa uma comunidade de pessoas.

No entanto, em muitos aspectos pode ser comparada a um edifício e, especialmente, a um templo’ (Stott, 106). A frase ‘edificados sobre o fundamento’ é a transição para essa analogia da Igreja como um edifício em processo de construção. Em 2.20-22, Paulo novamente assegura aos gentios que formarão parte integral da igreja que Deus está construído. […] A Igreja é ‘edificada’ sobre a revelação original e infalível de

[…] Deus foi revelando aos profetas do Antigo Testamento os detalhes dessa promessa messiânica.

– Cristo aos primeiros apóstolos e profetas. No entanto, deve-se acrescentar que líderes visionários e santos, pessoas cheias da Palavra e do ‘espírito de sabedoria e de revelação’ (1.17), continuam a ser necessárias para liderar a Igreja ‘até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo” (ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Vol.2. Rio de Janeiro: CPAD, 2017, pp.419,20).

2 – “Templo do Espírito.

Outra figura muito significativa da igreja, no Novo Testamento, é ‘o templo do Espírito Santo’. Os escritores bíblicos empregam vários símbolos para representar os componentes da construção desse templo, que têm seu paralelo nos materiais necessários à construção de uma estrutura terrestre.

Por exemplo: toda edificação precisa de um alicerce sólido. Paulo indica com clareza que o alicerce primário da Igreja é a pessoa e obra históricas de Cristo: ‘Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo’ (1 Co 3.11). Em outra Epístola, no entanto, Paulo afirma que, em outro sentido, a Igreja é edificada ‘sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas’ (Ef 2.20).

Talvez isto signifique que esses primeiros líderes tivessem sido usados de modo muito especial pelo Senhor, a fim de estabelecer e fortalecer o templo do Espírito com os ensinos e práticas que haviam aprendido de Cristo e que continuam a ser comunicados aos crentes hodiernos através da Escrituras” (HORTON, Stanley (Ed.). Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2018, p.546).

Jesus fala sobre a importância do Fundamento

1 – Fundamento significa base, alicerce, fundação.

Quando olhamos para uma casa não notamos o seu alicerce, mas ele é a base para todo o edifício.

– Mt.7:24-29. Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as põe em prática, será comparado a um homem prudente, que edificou a casa sobre a rocha. 25 E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa; contudo não caiu, porque estava fundada sobre a rocha.26 Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparado a um homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia.27 E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda.28 Ao concluir Jesus este discurso, as multidões se maravilhavam da sua doutrina.29 porque as ensinava como tendo autoridade, e não como os escribas.

Artigo Relacionado  A importância da Paternidade na vida dos Filhos

2 – O Apóstolo Paulo mostra que quem edificou com feno, madeira e palha foi salvo porque tinha um fundamento correto.

1Co.3:10-15. 10 Segundo a graça de Deus que me foi dada, lancei eu como sábio construtor, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele.11 Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.  E, se alguém sobre este fundamento levanta um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha.13 a obra de cada um se manifestará; pois aquele dia a demonstrará, porque será revelada no fogo, e o fogo provará qual seja a obra de cada um.14 Se permanecer a obra que alguém sobre ele edificou, esse receberá galardão.15 Se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele prejuízo; mas o tal será salvo todavia como que pelo fogo.

Os cristãos que não estão bem fundamentados não se tornam praticantes da palavra, não podendo progredir no conhecimento de Deus. Hb.5:11-6:3.

11 Sobre isso temos muito que dizer, mas de difícil interpretação, porquanto vos tornastes tardios em ouvir.

12 Porque, devendo já ser mestres em razão do tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar os princípios elementares dos oráculos de Deus, e vos haveis feito tais que precisais de leite, e não de alimento sólido.

13 Ora, qualquer que se alimenta de leite é inexperiente na palavra da justiça, pois é criança.

14 mas o alimento sólido é para os adultos, os quais têm, pela prática, as faculdades exercitadas para discernir tanto o bem como o mal.

6:1-3 Pelo que deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento de arrependimento de obras mortas e de em Deus.2 e o ensino sobre batismos e imposição. de mãos, e sobre ressurreição de mortos e juízo eterno.3 E isso faremos, se Deus o permitir.

– Cada cristão deve ser mestre, capaz de transmitir os fundamentos aos que se aproximam de Cristo. É preciso o discípulo, pratique e ensine tudo o que se refere a entrada no Reino de Deus.

3 – Para colocarmos o fundamento correto, Jesus Cristo em nossas vidas, devemos lembrar o que o próprio Senhor falou no sermão do monte.

Lc.6:47-49. Todo aquele que vem a mim, e ouve as minhas palavras, e as pratica, eu vos mostrarei a quem é semelhante.48 É semelhante ao homem que, edificando uma casa, cavou, abriu profunda vala, e pôs os alicerces sobre a rocha; e vindo a enchente, bateu com ímpeto a torrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque tinha sido bem edificada.49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante a um homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a torrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.

Neste texto vemos dois tipos de pessoas.

Uma que ouviu e praticou a palavra, cavou bem fundo não foi abalada.

Cavar.

Arrancar tudo que é nosso limpar de nossas vidas tudo que não vem de Deus. Demora mais tempo para construir a casa, o mas o edifício será duradouro. Devemos cavar até chegar na Rocha: Jesus. Para colocar os fundamentos sobre nossas vidas temos de cavar, mais fundo, até encontrar a rocha.

A rocha no N. T. é o próprio Senhor Jesus.

Artigo Relacionado  O caráter conciliador de Abigail

Precisamos cavar tudo que é nosso, humano e pecaminoso para que só a vida de Jesus floresça. Jesus Cristo é o único fundamento. – O Fundamento de Deus Jesus Cristo, é a revelação de Deus, a Palavra, o Verbo de Deus para todos os homens.  Jo.1:9. Pois a verdadeira luz, que alumia a todo homem, estava chegando ao mundo. Hb.1:1-2.Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas.2 nestes últimos dias a nós nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, e por quem fez também o mundo.

4 – A Palavra De Deus.

Jesus ensinou a vontade de Deus e revelou a verdade através de suas palavras. O elemento que ele usou para comunicar vida, foi a Palavra.

Jo.12:44-50. Clamou Jesus, dizendo: Quem crê em mim, crê, não em mim, mas naquele que me enviou.45 E quem me vê a mim, vê aquele que me enviou.46 Eu, que sou a luz, vim ao mundo, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas.47 E, se alguém ouvir as minhas palavras, e não as guardar, eu não o julgo; pois eu vim, não para julgar o mundo, mas para salvar o mundo.48 Quem me rejeita, e não recebe as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o julgará no último dia.49 Porque eu não falei por mim mesmo; mas o Pai, que me enviou, esse me deu mandamento quanto ao que dizer e como falar.50 E sei que o seu mandamento é vida eterna. Aquilo, pois, que eu falo, falo-o exatamente como o Pai me ordenou.

5 – O método Escolhido, Doze Homens.

Ele comunicou esta revelação especialmente aos doze apóstolos.

Não temos outra fonte original e fidedigna de informação acerca de Jesus além dos doze apóstolos. Jo.17:8. 8 porque os pobres sempre os tendes convosco; mas a mim nem sempre me tendes. 

6 – Obra do Espirito Santo.

Jesus confiou na obra posterior do Espírito Santo para recorda, revelar, ensinar e guiar em toda verdade. Jo.14:26. Mas o Ajudador, o Espírito Santo a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo quanto eu vos tenho dito.  Jo.16:12-15. Ainda tenho muito que vos dizer; mas vós não o podeis suportar agora.13 Quando vier, porém, aquele, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas vindouras.14 Ele me glorificará, porque receberá do que é meu, e vô-lo anunciará.15 Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso eu vos disse que ele, recebendo do que é meu, vô-lo anunciará.

7 – Responsabilidade dos Apóstolos.

Depois da sua ressurreição, Jesus ordenou a Seus apóstolos, tendo recebido o Espírito Santo, fizessem discípulos de todas as nações.

Mt.28:18-20. E, aproximando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra.19 Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.20 ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.

8 – Revelação Concluída

Depois de um período, o Espírito Santo completou a revelação fundamental dada aos apóstolos, especialmente quanto ao ministério de Cristo.

Ef.1:8-9.Que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência.9 fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs.

Ef.3:5. o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos dos homens, como se revelou agora no Espírito aos seus santos apóstolos e profetas.

Ef.3:9. E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou.

At.20:27. Porque não me esquivei de vos anunciar todo o conselho de Deus.

https://iepenelas.blogs.sapo.pt/fundamento-dos-apostolos-e-dos-profetas-17124

Conclusão

Portanto, que possamos nos deixar ser edificados sobre o fundamento, que é Cristo demostrado através do exemplo dos verdadeiros apóstolos e profetas  e assim possamos seguir em direção ao cumprimento do Propósito Eterno de Deus e na missão de fazer discípulos segundo o modelo de Jesus.

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.