Atributos da unidade da Fé – Humildade Mansidão e Longanimidade

Atributos da unidade da Fé

Atributos da Unidade da Fé

Humildade, Mansidão e Longanimidade

 A Humildade, Mansidão e longanimidade são virtudes geradas pelo Espírito Santo no interior do crente trazendo a , que nada mais é,  do que a base para alcançarmos a salvação em Cristo Jesus.

Texto Bíblico (Efésios 4.1-4; Colossenses 1.9-12)

A relevância da Mansidão na Bíblica

Definição. A palavra mansidão (Gl 5.23), no original, é provavelmente a virtude mais difícil de ser biblicamente definida, porquanto trata-se de estado interior e não exterior. Os três conceitos principais acerca do fruto espiritual da mansidão são os seguintes:

a) Ser sempre submisso a vontade de Deus. É o que Jesus expressou em Mateus 11.29. Aqui nosso Senhor fez notória a sua mansidão e humildade. Estas duas qualidades são características de alguém que se submeteu totalmente à vontade de Deus.

b) Ser apto para aprender. É estar sempre aberto à aprendizagem, ou seja, não ser orgulhoso quanto ao que se sabe e o que precisa aprender (Tg 1.21).

c) Ser atencioso. Na maioria das vezes, o vocábulo significa demonstrar consideração, moderação, tranquilidade, atenção ou cuidado, ou ser paciente com os outros por amor como explanado em 1Co 13.1-7.

– A mansidão segundo a Bíblia nada tem a ver com covardia e fraqueza. Na Bíblia, vemos esta característica relacionada com coragem, fortaleza e resolução. Moisés era homem muito manso, mas ao mesmo tempo estava pronto para agir nos momentos críticos.

OBS: “ Prautēs ou praotēs denota ‘mansidão’. Em seu uso na Escritura, no qual tem um significado mais extenso que nos escritos gregos seculares, não consiste só no comportamento exterior da pessoa; nem ainda em suas relações com o próximo; tampouco na sua mera disposição natural.

O Maior exemplo de Mansidão

A Mansidão de Deus.

A mansidão deve ser uma das qualidades do crente, porquanto o Espírito de Deus habita em seu interior. Deus é perfeitamente manso, mas também justo e que ira-se todos os dias (Sl 7.11). Como compreender isso? A ira de Deus é contra o pecado e o mal; não afeta seu amor e compaixão por nós. Deus é nosso exemplo perfeito de mansidão associada à firmeza.

A Mansidão de Jesus.

Quando uma aldeia samaritana recusou-se dar as boas-vindas a Jesus, alguns discípulos perguntaram se Ele permitiria que eles clamassem por fogo do céu para destruir a aldeia. Sem demora, Jesus os repreendeu: “Vós não sabeis de que espírito sois.

Porque o Filho do Homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las” (Lc 9.55,56). A mansidão de Jesus também é descrita admiravelmente em João 13.5. Nesta passagem, Jesus na sua humildade lavou os pés dos discípulos, demonstrando como devemos servir. Ler os versículos 12-15.

Artigo Relacionado  A Humildade e o Amor desinteressado

A maior prova da mansidão de Jesus vemo-la nas horas que precederam sua crucificação:

a) Em sua submissão. Sua súplica foi de submissão total à vontade do Pai, embora esta significasse sofrimento indizível e morte (Mt 26.39).

b) Em seu consentimento. No momento da prisão, Jesus poderia chamar mais de doze legiões de anjos para salvá-lo, no entanto, voluntariamente Ele permitiu que os soldados o aprisionassem (Mt 26.50-54).

c) Em seu silêncio. Mesmo sendo acusado pelos principais sacerdotes e anciãos injustamente, Jesus não lhes respondeu (Mt 27.14). O Cordeiro eterno de Deus, em espírito de amor e mansidão, entregou-se de boa vontade para fazer expiação pelos pecados de toda a humanidade. Ainda na cruz, pronunciou palavras de perdão aos que o crucificavam.

Elos da Mansidão e Humildade

Na Bíblia, a mansidão está frequentemente associada a outros atributos ou em contraste com práticas erradas. Consideremos, portanto, alguns textos bíblicos e seus ensinos para nós.

Mansidão e benignidade.

Em 2 Coríntios 10.1, o apóstolo Paulo fez um apelo aos coríntios “pela mansidão e benignidade de Cristo”. Benignidade, nesta passagem, diz respeito a suportar ofensas com paciência e sem ressentimento, por amor a Cristo. Mansidão refere-se à brandura na conduta ou atitude, e opõe-se à rispidez, à severidade, à violência ou a grosserias carnais; de natureza adâmica.

Mansidão e humildade.

Estas duas virtudes estão intimamente ligadas: “Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor” (Ef 4.2). Humildade contrapõe-se ao orgulho. É uma atitude de submissão e respeito aos outros.

Mansidão e sabedoria.

“Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria” (Tg 3.13). Os sábios e inteligentes são mansos. Trata-se de um espírito de submissão e sempre inclinado à aprendizagem. Isto evidencia o fruto da mansidão.

Mansidão e salvação.

“Porque o SENHOR se agrada do seu povo; ele adornará os mansos com a salvação” (Sl 149.4). Observamos neste texto sua harmonia com o Novo Testamento: “Pelo que, rejeitando toda imundícia e acúmulo de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar a vossa alma” (Tg 1.21). Neste texto, mansidão refere-se à inclinação para receber a Palavra de Deus com um coração submisso.

OBS: Entre os ensinos de Jesus, certamente os que se referem à humildade têm nEle um exemplo inigualável. Sendo Deus, fez-se homem, sujeitando-se às tentações, ao sofrimento, “humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz” (Fp 2.8b). Sendo rico, fez-se pobre para nos enriquecer eternamente; sendo onipotente, onisciente e onipresente, “aniquilou-se a si mesmo, tomando forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens” (Fp 2.7).

Mansidão X Humildade

“A palavra grega prautês transmite o conceito de ternura humilde que tem mais solicitude pelo próximo que consigo mesmo. Jesus disse: ‘Bem-aventurado os mansos, porque eles herdarão a terra’ (Mt 5.5). A palavra cognata praus significa ‘meigo’, ‘humilde’, ‘manso’, ‘suave’. Aristóteles a descreve como o meio-termo entre a disposição excessiva à ira e a incapacidade de irar-se. A pessoa meiga tem o espírito disciplinado.

Artigo Relacionado  Humildade - uma característica do crente salvo

Potencialmente, todas as bênçãos espirituais estão à disposição de tal pessoa. Esse espírito meigo, apesar de a própria palavra ‘mansidão’ não ser empregada em Romanos, é descrita em 12.12-14 — a capacidade de perseverar na aflição e na perseguição, servindo fielmente na oração e nos cuidados práticos com o próximo.

A mansidão sabe que Deus está cuidando de tudo, e por isso não toma a vingança nas próprias mãos (Rm 12.17-21; Ef 4.26). Ao invés de sermos grosseiros, egoístas e facilmente provocados à ira, demonstremos mansidão, protejamos o próximo e perseveremos (1Co 13.5,7). Nossa atitude uns para com os outros deve ser completamente humilde, suave, sem arrogância (2Co 10.1; Ef 4.2). Com demasiada frequência, as manifestações espirituais têm sido expressas de modo rigoroso e absolutista, com a manipulação das pessoas.

Esse método, ao invés de encorajar o próximo no ministério dos dons, chega mesmo a sufocá-lo, mormente o ministério que provém do Corpo inteiro. Quão importante é aprendermos a resguardar a dignidade e os brios morais uns dos outros! Seja meigo!” (Teologia Sistemática, CPAD, pp.491,492)

OBS: Jesus em seu viver foi um exemplo em tudo. Diferente de muitos mestres, que ensinavam o que não faziam, e faziam o que não ensinavam, Ele provou ao mundo que seus ensinos e sua doutrina estavam muito acima das filosofias humanas, inspiradas no intelecto limitado e falho dos mortais. Seus ensinos sobre a humildade foram por Ele vividos a cada dia no seu ministério, quando “humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz”.

A praticidade exemplar da Mansidão

Há muitos exemplos da prática do fruto da mansidão, ou de sua ausência, no Antigo e Novo Testamentos. Ao ler os acontecimentos bíblicos, reflita se os personagens envolvidos agiram mansamente. Se não, considere a possibilidade de que a história, em alguns casos, poderia ter sido diferente se esta virtude fosse manifestada. A seguir, examinaremos alguns exemplos.

Abraão.

É um exemplo notável desta virtude aplicada na resolução de disputas: “Ora, não haja contenda entre mim e ti e entre os meus pastores e os teus pastores, porque irmãos somos. Não está toda a terra diante de ti? Eia, pois, aparta-te de mim; se escolheres a esquerda, irei para a direita; e, se a direita escolheres, eu irei para a esquerda” (Gn 13.8,9). À primeira vista, parece que Abraão está perdendo terreno por conceder a Ló o direito de escolher. Contudo, no fim da história o Senhor abençoou grandemente a Abraão. Isaque, filho de Abraão, seguiu o exemplo do pai e também foi abençoado pelo Senhor (veja Gn 26.20-26).

Moisés.

O texto de Números 12.3 diz que “era o varão Moisés mui manso, mais do que todos os homens que havia sobre a terra”. Na passagem de Êxodo 15.24,25, o povo murmurou contra Moisés, que imediatamente voltou-se ao Senhor. Fato semelhante ocorreu em Êxodo 17.3,4.

Artigo Relacionado  A Mordomia da Família

Em outra ocasião, o povo criticou Moisés em público, no entanto, Deus o defendeu e falou diretamente com Arão e Miriã em benefício de seu servo. Nestes textos, aprendemos que o Senhor sustenta os submissos e mansos. Em Números 16, encontramos uma rebelião do povo contra a liderança de Moisés. Uma vez mais ele demonstrou mansidão, e Deus o protegeu.

Paulo.

Este servo de Deus escreveu muitas vezes acerca da importância de um espírito manso. Este fruto do Espírito manifestava-se regularmente na conduta de Paulo para com os que estavam sob seus cuidados, e em sua submissão à vontade do Senhor. Antes de se converter, era um furioso perseguidor dos cristãos. Todavia, depois de sua transformação, praticou e ensinou o evangelho de amor e compaixão, com mansidão e humildade.

A Relevância da Longanimidade

Definição e significado

Longanimidade é um substantivo feminino da língua portuguesa e define alguém que possui a característica ou qualidade de grandeza de ânimo, uma pessoa que encara com coragem as adversidades a favor de alguém. Este termo está relacionado com o ato de ser bondoso ou generoso. A paciência extrema para suportar ofensas, injúrias ou os próprios sofrimentos também pode ser um exemplo de longanimidade.

O significado livre da palavra de origem hebraica é “vagaroso em irar-se”, ou seja, alguém que demora para entrar em estado de ira, raiva ou rancor. Na versão grega da expressão (makrothymía), o significa literal seria “longura de espírito”.

Longanimidade na Bíblia

A longanimidade é uma característica muito defendida na doutrina cristã, através da bíblia, estando presente em diversos versículos e textos religiosos.

A longanimidade é uma virtude de quem é bondoso e generoso, de quem acredita e tem em Deus para ajudar a solucionar os seus problemas. De acordo com os ensinamentos de Deus, registrados na Bíblia, o longânime (pessoa que pratica a “longanimidade de Deus”) pode parecer aos olhos dos infiéis um fraco, mas na verdade usa-se do discernimento e sensatez para resolver as adversidades sem usar a força física ou de maneira irracional.

Na realidade, para a doutrina cristã, a falta de longanimidade é uma das grandes responsáveis pela intolerância e violência na humanidade. Em uma das passagens da Bíblia Sagrada, em Gálatas 5:22, a longanimidade é descrita como um dos elementos que faz parte do fruto do espírito, apesar de algumas traduções mencionarem paciência em vez de longanimidade. https://www.significados.com.br/longanimidade/

Conclusão

Duas recompensas da mansidão são mencionadas em Salmos 37.11: “Mas os mansos herdarão a terra e se deleitarão na abundância de paz”. Uma está relacionada ao futuro: o fruto da mansidão contribui para que o crente possua o Reino de Deus em sua plena expressão e manifestação quando o Rei vier.

A outra, ao presente: abundância de paz. Às vezes, os ímpios conseguem o que desejam mediante grande esforço e planejamento. Entretanto, no Reino de Deus, os santos herdam a bênção do Senhor partindo de mansidão segundo a Bíblia. Jesus confirmou este fato ao anunciar as diretrizes do seu Reino (Mt 5.5). Também somos recompensados por agir com mansidão em nossos relacionamentos interpessoais.

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.