O Poder da Evangelização na Família

O poder da evangelização na família

O Poder da Evangelização na Família

 

O poder da evangelização na família, esse é o tema desse estudo. A vida moderna proporciona conforto e oportunidades materiais, mas não podemos ignorar as armadilhas contra a vida espiritual da família cristã. Por era causa, mais do nunca a família carece de ser alcançada pelo poder da evangelização resultando em salvação em Cristo Jesus.

 

I – RAZÕES PELAS QUAIS A FAMÍLIA DEVE SER EVANGELIZADA

1 – Lado negativo:

a) O ataque no Éden. O primeiro ataque ao casamento ocorreu no Éden. Daquele episódio, surgiu a inclinação inata do ser humano para pecar, trazendo como consequências a iniquidade, as doenças, o envelhecimento e a morte física e espiritual. Além do mais, segundo as Sagradas Escritura, no Éden, o Diabo atacou frontalmente o casamento e a família e por causa do pecado, o primeiro casal foi expulso do jardim (Gn 3.23,24), gerando uma série de males entre os quais o assassinato de Abel (Gn 4.2-8). O pecado transtornou, profanou e perverteu o ser humano (Rm 7.8-24).

b) Formas iníquas de união. Nestes dias trabalhosos e difíceis, os ataques (e como sempre disfarçados e “justificados”) contra o casamento são os mais diversos. O que dizer do divórcio? Ou do casamento homossexual (Lv 18.22; 20.13; 1 Co 6.9-10; 1 Tm 1.10). Quem assim procede, sofrerá o juízo divino (Gn 19.5,24; 1 Rs 14.24; Rm 1.26; Hb 13.4; Jd v.7; Gl 6.7). O homossexualismo é um ataque frontal ao casamento.

C) –  O Diabo sempre intentou destruir a família (1 Pe 5.8). Entretanto, Deus tem colocado à disposição do crente um verdadeiro arsenal do Espírito Santo através da Bíblia Sagrada: a oração, o jejum, a leitura bíblica, o poder do sangue de Cristo e a comunhão com o Espírito Santo; são armas poderosas que devemos utilizar para combater o Maligno em sua fúria contra a família (2 Co 10.4,5; Ap 12.11; 2 Ts 3.3; 1 Jo 2.13,14).

A Igreja do Senhor Jesus, como “coluna e firmeza da verdade” (1 Tm 3.15), não pode deixar de protestar contra tais coisas. O matrimônio deve ser valorizado conforme recomenda a Palavra de Deus (Hb 13.4a). Leia mais sobre o que é Evangelização.

2 – Lado Positivo:

a) Origem do casamento.

Deus viu que a solidão não seria boa para o homem (Sl 68.6; 113.9). Por isso, fez-lhe uma adjutora para viver em sua companhia (Gn 2.18,21-23). Deus uniu o homem à sua mulher, a fim de serem “uma só carne” (Gn 2.24). Portanto, a união conjugal tem de ser monogâmica, heterossexual e indissolúvel. Ou seja: o casamento bíblico é a união de um homem com uma mulher até que a morte os separe. Fora disso, qualquer tipo de união conjugal é “abominação ao Senhor” (Lv 18.22; 20.13; Rm 1.27; 1 Co 6.10).

b) Origem da família.

Antes de estabelecer a Igreja, Deus criou a família e determinou regras para o seu desenvolvimento. Embora o Criador haja destinado apenas uma mulher para o homem, o pecado levou o ser humano à poligamia, à fornicação e ao adultério, ignorando o padrão da vida conjugal estabelecido por Deus (Gn 2.24; 4.1).

c) Origem do lar.

O primeiro lar foi formado por Deus. Neste lar havia amor, paz, saúde e alegria (Gn 2.25). Até o trabalho era realizado sem estresse (Gn 2.5,15). O mais importante, porém, era a presença de Deus (Gn 3.8a). Sendo esta também indispensável ao lar cristão, deve ser buscada e cultivada por todos os membros da família.

d)  Sem a família a igreja não funciona.

Não podemos ignorar a importância da igreja local junto à família, pois a saúde da igreja está diretamente ligada ao bem estar espiritual e moral da família. Uma igreja cujas famílias estão arruinadas espiritual e moralmente não terá condições de acolher os não crentes, nem terá autoridade para atuar junto à outras famílias na comunidade em que está inserida.

A família fortalecida na igreja é tão importante que o apóstolo Paulo aconselhou o pastor Timóteo a respeito da qualidade de um candidato ao episcopado. O apóstolo destaca a relação do aspirante com a própria família: “Convém, pois, que o bispo […] governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia (porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?)” (1Tm 3.2,4,5). Aqui, ele expressa o impacto do relacionamento familiar com a funcionalidade da igreja local. Famílias desgovernadas, inevitavelmente, geram uma igreja sem direção.

e)  A família como extensão da igreja.

Além de a família ser o elemento básico da funcionalidade da igreja local, ela é a própria extensão desta. Descrevendo a respeito do culto doméstico, o saudoso pastor Estevam Ângelo disse: “Se a família quiser assistir a sete cultos a mais por semana, fazendo o culto doméstico, terá uma igreja em casa”.

É verdade! Além de cultuar a Deus, a família representará o reino divino na vizinhança, no bairro e no mundo. O próprio Jesus falou: “Porque onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles” (Mt 18.20). Portanto, podemos fazer de nossa família uma extensão da Igreja de Cristo e representar seu Reino neste mundo.

Família: Comunidade constituída por um homem e uma mulher, unidos por laço matrimonial, e pelos filhos nascidos dessa união. Portanto, o casamento monogâmico, o lar e a família são projetos divinos estabelecidos para a felicidade da humanidade.

 

II – A FAMÍLIA É DESAFIADA PELA MODERNIDADE

São muitos os ataques à família nos dias atuais e somente a igreja de Cristo tem as armas precisas para combatermos tais desafios que só escraviza o homem. Que possamos tomar posse das armas da Evangelização, pois só assim mudaremos tais situações e livraremos muitos que estão destinados a morte.

1 –  A inversão de valores.

A família está sendo destruída por novelas iníquas, escritas e produzidas por pessoas distanciadas dos valores legitimamente cristãos, e pelas publicações que zombam da Palavra de Deus (Is 5.20).

2 –  A tecnologia como instrumento do mal.

A televisão e a internet, por exemplo, vêm sendo traiçoeiramente usados pelo Diabo para contaminar preciosas vidas. A Igreja do Senhor Jesus precisa, no poder do Espírito Santo, reagir contra o uso inadequado e pecaminoso desses meios de comunicação em massa. Se não reagirmos, a família cristã sofrerá pesadas consequências.

A evangelização leva o homem a reconhecer suas necessidades:

(1) A necessidade de tomar posição. Josué afirmou: “… porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24.15). A maior parte dos ataques contra a família tem sucesso, porque os responsáveis pelos lares cristãos não tomam diante de Deus, uma posição firme e corajosa contra essa perversa inversão de valores (Ef 6.4b; Dt 22.8).

(2) A necessidade de temer a Deus e andar nos seus caminhos. “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos! ” (Sl 128.1). As promessas de que trata o salmo são bênçãos extraordinárias sobre a família, incluindo o líder, a esposa, os filhos e os filhos destes conforme promete Deus. Mas há um preço a pagar: Deus exige santidade no lar de quem lhe professa o nome (Hb 12.14; 1 Pe 1.15).

(3) A necessidade de edificar a casa sobre a Rocha (Mt 7.24; Sl 127.1). Edificar a casa “sobre a rocha” é edificar o casamento, o lar e a família, sobre Cristo Jesus, que é a “a pedra”, ou a rocha dos séculos (Mt 21.42; Lc 20.17; 1 Pe 2.7). Muitos crentes edificam sua casa sobre a areia (Mt 7.27), e amargam as consequências. Como está você construindo o seu lar? Através da evangelização a  Igreja de Cristo triunfa e sempre triunfará em todos os campos de batalha, vencendo a todos os desafios.

 

III – A ESCOLA DOMINICAL COMO AUXILIADORA NA EVANGELIZAÇÃO E FORTALECEDORA DA FAMÍLIA

É indispensável aqui falarmos sobre a maior agência de ensino da palavra de Deus que é a Escola Bíblica Dominical que no seu papel importante executa uma dupla e maravilhosa missão, pois quando ela ensina, ao mesmo tempo, evangeliza.

1 –  Auxilia na evangelização.

É desejável que a Escola Dominical resgate este supremo objetivo: evangelizar (Mc 16.15). Uma classe pode incumbir-se de levar convites as famílias para virem à igreja no domingo seguinte, ou para o culto vespertino. Tal iniciativa é uma ótima forma de apresentarmos o Evangelho aos que ainda não receberam a Cristo. Não podemos negar que a EBD Auxilia no ensino das Escrituras, na evangelização e no discipulado, pois são algumas das finalidades da Escola Dominical.

2 – A Escola Dominical fortalece a Família

a)  As crianças são bem instruídas. Dizem os estudiosos que a personalidade humana é definida até aos sete anos. O que aprendemos nessa fase, refletirá decisivamente em nosso desenvolvimento psíquico, emocional, afetivo e social, influenciando-nos por toda a vida. Nesse aspecto, advertem-nos as Sagradas Escrituras: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6). Por conseguinte, a Escola Dominical ajuda, e muito, no desenvolvimento da personalidade infantil, pois encaminha cada criança no aprendizado cristão.

b) A juventude é prevenida contra o pecado. A juventude é vítima de muitas brutalidades sociais: álcool, drogas, sexo ilícito, delinquência, etc. Por isso mesmo, nossos jovens devem frequentar assiduamente a Escola Dominical, pois aqui são alertados contra todos esses males tão característicos de uma sociedade sem Deus. O salmista oferece um caminho seguro para que o jovem previna-se contra os males desse tempo: “Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra” (Sl 119.9).

c) Os adultos frutificam. Por aceitar a Cristo na idade adulta e não haver recebido uma sólida formação espiritual e moral durante a infância e juventude, há crentes que acabam não formando uma consciência clara e madura da vida cristã. A Escola Dominical, todavia, está apta a ajudá-los a formar o seu caráter cristão e estimulando-os à leitura da Bíblia Sagrada e à prática da vida cristã em seu dia a dia (Jo 5.39). Assim, os adultos tornam-se aptos a dar muitos frutos na obra do Senhor (Jo 15.1-16).

Como parte do Corpo de Cristo, a igreja visível deve cumprir sua missão evangelizadora e proclamadora do evangelho, sem, contudo, deixar de amar e obedecer plenamente às Sagradas Escrituras.

 

IV – A RELEVÂNCIA DA ESCOLA DOMINICAL PARA COM A FAMÍLIA

A Escola Dominical agrega a família de um modo evangelístico e discipulador ensinando o caminho do Céu. A Escola Dominical é inegavelmente a maior agencia de ensino cristão do mundo. É na Escola Dominical que os alunos podem fazer perguntas ao professor (algo não permitido em um culto, por ocasião da exposição da Palavra de Deus), apresentar suas ideias, aplicar o que está sendo ensinado à sua vida e desenvolver talentos em prol do Reino de Deus.

Na escola Bíblica Dominical

Na Escola Dominical você tem acesso ao estudo sistemático da Palavra de Deus e de assuntos atuais, que podem ser analisados à luz das Escrituras. Todos temos a necessidade de um ensino correto e sadio, que pode ser oferecido de forma metódica, clara e progressiva na Escola Dominical.

Na Escola Dominical, o crente tem na Palavra de Deus o crescimento adequado na vida cristã e na comunhão com o próprio Deus.

Na Escola Dominical, você tem comunhão com outros irmãos alunos da mesma Escola, desenvolvendo laços mais estreitos, partilhando experiências e orando uns pelos outros.

Para a Escola Dominical você pode levar sua família para que todos tenham a oportunidade de aprender a Palavra de Deus, pois lá cada faixa etária terá seu professor e aprenderá lições da Palavra de Deus de forma sistemática e apropriada.

À Escola dominical você pode trazer pessoas para serem evangelizadas e ensinadas sobre o Evangelho. As aulas não são apenas para alunos crentes, mas abertas àqueles que ainda não aceitaram a Jesus como seu Senhor e Salvador.

Pode ainda…

Na Escola dominical, você pode trazer seus questionamentos relacionados com a Bíblia Sagrada e a vida cristã. Eles podem ser expostos de acordo com a lição da semana, e certamente o professor trará as respostas relacionadas à Palavra de Deus.

Na Escola dominical, você pode servir ao Senhor com seus talentos, seja na esfera musical, seja na esfera do ensino. Lembre-se de que em qualquer área de trabalho na igreja é necessário que haja dedicação, e não apenas talento. Talento sem dedicação não traz frutos, nem no âmbito secular nem no espiritual.

A Escola dominical é uma fonte de avivamento para toda a igreja, pois nela o ensino da Palavra vivifica os alunos. Há diversos outros motivos para que frequentemos a Escola Dominical. É imprescindível que assumamos o compromisso de estar presentes nela. Essa presença fará toda a diferença em nosso crescimento espiritual e no de nossa família.

Nenhuma instituição de ensino tem efeito tão benéfico sobre a família como a Escola Dominical. Nos países onde ela é valorizada, sempre há testemunhos de pessoas que se tornaram úteis à sociedade e ao mundo. Portanto, a igreja precisa valorizar a Escola Dominical: a maior escola de formação cristã do mundo. Os que são assíduos na Escola Dominical absorvem o ensino da Bíblia, e passam a ter uma conduta pautada nos princípios elevados da Palavra de Deus. Aproveitamos a presente lição, nesse oportuno trimestre, para apontarmos um meio eficaz e indispensável para evangelizarmos as famílias com sucesso que é a Escola Bíblica Dominical.

CONCLUSÃO

Sabemos pela palavra Divina, a Bíblia Sagrada, que a Igreja foi destinada por Deus para vencer. A Bíblia nos mostra que todas as forças e potestades, que se levantaram, e se levantam contra Ela, serão destruídas pelo Rei dos Reis e Senhor dos Senhores. Para participarmos dessa vitória final, precisamos cumprir a nossa missão que não é outra se não, a da evangelização dos povos.

 

Referências

– Bíblia Palavra Chave (ARC)

– Apontamentos Teológicos do Autor

– Dicionário da Língua Português Online

– Lições Bíblicas CPAD – Jovens e Adultos – 2º Trimestre de 2007 – Título: Tempos Trabalhosos – Como enfrentar os desafios deste século – Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima.

 

Comentário Pastor Josaphat Batista – Pr. Presidente da Assembleia de Deus em Ibotirama-Bahia. Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior. Bacharel em Teologia convalidado pelo MEC. Membro do CEECRE (Conselho Estadual de Educação e Cultura Religiosa da CEADEB). Diretor da ESTEADI (Escola Teológica da Assembleia de Deus em Ibotirama). Presidente do Conselho de Pastores e Líderes Evangélicos de Ibotirama (CONPLEI). Conferencista, Seminarista, Escritor e fundador dos Congressos EBD no Campo de Camaçari-Ba.

 

Deixe seu comentário
O Poder da Evangelização na Família