As Cortinas do Tabernáculo

As cortinas do Tabernáculo

As Cortinas do Tabernáculo

 Todo o cortinado do Tabernáculo era colorido. As cores sempre tiveram uma significação especial na cultura do povo judeu. A diversidade dessas cores, bem como a matéria-prima material, apontava para uma completude salvífica.

Texto Bíblico (Êxodo 26.1-14)

As Cortinas do Tabernáculo

1 – Quando Adão e Eva viviam no jardim, estavam na presença absoluta de Deus.

Depois de sua transgressão foram expulsos, separados da presença de Deus. Querubins com uma espada flamejante estavam posicionados a leste do jardim para impedir seu retorno e para impor a separação da presença de Deus.

Homens poderiam oferecer sacrifícios a Deus, poderiam orar a ele, mas o caminho para a sua presença permaneceria fechado. Os querubins, embora não estivessem mais visíveis, permaneciam em guarda. E esta separação permaneceu por gerações.

2 – Quando Moisés recebeu a lei no Monte Sinai

Essa lei incluía instruções para a construção do tabernáculo, entre essas instruções estava a confecção de uma cortina ou véu (Êx 26.30-35).

O propósito desta cortina era estabelecer uma divisão entre o Santo Lugar e o Santo dos Santos. No Santo Lugar estavam o candelabro, a mesa para o pão da proposição e o altar do incenso.

No Lugar Santíssimo estava a arca da aliança, coberta pelo propiciatório, sobre a qual dois querubins guardavam a presença de Deus. Este era o lugar onde Deus tornava visível sua presença e de onde falava a Moisés.

O Material Necessário Foi Suprido pelas Obras das Mãos das Mulheres

Com o azul, púrpura, e carmesim essas cortinas de linho fino torcido foram, junto com os querubins bordados nelas, uma obra esmerada foi produzida. Essa obra seria impossível se não fosse a obra das mulheres sábias.

Elas, nas suas casas, “fiavam com as suas mãos o azul e a púrpura, o carmesim e o linho fino”, Ex 35.25. Depois elas “traziam o que tinham fiado” para a obra que o SENHOR ordenara que fosse feita pela mão de Moisés.

A ajuda que as mulheres fizeram para o tabernáculo foi importante. Foi também primeiramente preparada nas suas casas. Isto é uma lição para as mulheres de hoje que desejam fazer a sua parte importante para a obra do SENHOR, ou seja, para a Sua casa.

A lição indispensável é esta: que elas preparem primeiramente, com as suas mãos, nas suas casas, tudo que era ao alcance e responsabilidade delas. Tendo trabalhado nisso, elas depois traziam à casa de Deus o fruto do trabalho das suas mãos. Assim a adoração de todos na casa de Deus foi facilitada.

Que seja assim hoje! Que as mulheres, nas suas casas, tenham os seus filhos bem treinados na doutrina e admoestação do Senhor que o marido tem instruído (Ef 6.4). Que os filhos e o marido sejam vestidos com a roupa limpa e passada que ela tem preparada antemão (Pv 31.19-22).

Artigo Relacionado  O encontro com Deus

Que a reverência e a ordem necessárias no culto sejam ensinadas aos filhos nos lares pelas mães, para que a adoração do Senhor seja dada como o Senhor deseja (Hc 2.20; I Co 14.40).

Que elas, pelo seu comportamento e submissão às suas cabeças, adoram-se a si mesmas primeiramente e perfumem as suas casas com aquele cheiro suave de um espírito precioso a Deus, ou seja, um espírito de um coração manso e quieto (I Pe 3.1-6).

Que elas, nos seus aposentos em casa, com as portas fechadas, preparem os seus corações pela oração em prol de si mesma, dos cultos, rogando pela salvação dos da sua família, e orando pelos outros da congregação.

Nessas maneiras, com as obras das suas mãos, preparando tudo ao seu alcance, nas suas casas, as mulheres hoje trazem a sua participação na obra da casa de Deus.

Essas obras importantes das mulheres testemunham de Cristo hoje, como as cortinas de linho fino torcido, com as cores, preparadas pelas mulheres sábias testemunharam de Cristo no passado no tabernáculo.

https://www.palavraprudente.com.br/estudos/calvin_d/tabernaculo/cap20.html

Êxodo 25.3-6: “Recebereis deles as seguintes ofertas: ouro, prata, púrpura violácea, púrpura escarlate, púrpura carmesim, linho fino, pelo de cabra, peles de carneiro tingidas de vermelho, couro fino, madeira de acácia, azeite para o lampadário,…” (versão dos Capuchos).

Obs.:  Não confundir estas cortinas com as do Átrio (de Ex 27.9-19).

As Cortinas Internas

O véu que dividia o Santo Lugar do Lugar Santíssimo era bordado com querubins, representando os querubins a leste do Éden, mantendo a humanidade longe da presença de Deus. Mas uma mudança aconteceu.

A proibição absoluta de entrar na presença de Deus agora já não era tão absoluta. A porta para a presença de Deus que tinha sido tão firmemente fechada no Éden agora apresentava uma fenda.

Era, na verdade, ainda uma fenda muito pequena, mas era uma fenda verdadeira. Agora o sumo sacerdote, uma vez por ano, acompanhado pela fumaça que se levantava do incenso, e pelo sangue dos sacrifícios, podia entrar no Lugar Santíssimo (Lv 16). Ele poderia entrar no lugar da presença de Deus.

1 – Simbologia das cortinas internas

Elas simbolizam o caráter de Jesus. Deus mandou fazer as cortinas de linho retorcido, estofo azul, púrpura e carmesim.

a) O linho retorcido é símbolo de justiça, o termo aqui é no sentido de ‘ser justo’ (Ap 19.8). O linho retorcido apontava para alguém que haveria de ter a natureza perfeita. Esse alguém seria sem sombra de dúvida Jesus Cristo. N’Ele seria encontrada a retidão desejada por Deus.

b) O linho retorcido das cortinas do Tabernáculo também representa a humanidade perfeita de Jesus. Entrar no Tabernáculo a ver as cortinas de linho retorcido, com fios de azul, púrpura e carmesim, era ver, pela , toda a beleza que estaria presente no Segundo Homem.

Artigo Relacionado  Adotados por Deus

c) O azul é cor celestial, é símbolo do Céu. E os fios de púrpura entrelaçados na cortina, tornou-se símbolo de Realeza. A púrpura era um tecido caríssimo, usado somente pelos ricos, pelos nobres, tecido próprio dos reis.

2 – Jesus Cristo é Rei, conforme simbolizado pela púrpura.

  1. Os fios carmesim (escarlate) tornaram-se o símbolo do sofrimento. O carmesim era obtido mediante o esmagamento de um molusco.
  2. O azul, a púrpura e o carmesim apresentam Jesus como o Filho de Deus, e como Rei sobre todas as coisas, mas que deveria seguir o caminho da cruz para realizar a redenção da humanidade.

As Cortinas Externas

Conforme Ex 26.7, eram de:

 – pelos de cabras

 – peles de carneiro

 – peles de animais marinhos.

Qual a diferença das cortinas internas e externas?

O exterior era bem rústico contrastando com a beleza interior. Há aqui um paralelo admirável entre ‘a figura’ e ‘a realidade’. Isto porque Ele esvaziou-Se a Si mesmo e fez-Se servo, conforme Fp 2.6-8. Os olhos humanos não podiam ver n’Ele senão o filho do carpinteiro (Mt 13.55). Ele estava em Sua face de humilhação.

Vendo apenas o exterior do Tabernáculo não se podia imaginar a beleza interior. Poucas foram as pessoas que tiveram o privilégio de o ver por dentro. Somente os sacerdotes tinham acesso à Tenda.

Todos podiam ver o exterior, mas o interior somente alguns. Assim como Jesus, poucos puderam ver a Sua natureza interior (Lc 11.15; 23.35). Sua verdadeira natureza só podia ser reconhecida por aqueles que com profunda fé, d’Ele se aproximavam (Jo 6.69).

Em Mt 16.15-17 podemos ver pessoas que demonstraram ter tido uma revelação da verdadeira natureza de Jesus. Em Jo 20.28 Tomé declarou a Jesus: “Senhor meu e Deus meu” reconhecendo também a verdadeira natureza de Jesus. Eles entraram na tenda e viram a beleza do seu interior.

Um incontestável Tipo de Cristo

Cada uma das cobertas do tabernáculo apontavam a Jesus Cristo.

A cortina íntima com suas quatro cores e os querubins tecidos no linho branco e fino, a segunda coberta de pelo de cabras falam de Jesus Cristo e o seu sacrifício. Lembre-se do bode expiatório que levou os pecados da nação para o deserto.

A terceira coberta, de peles de carneiros tingidas de vermelho, apontam para Jesus como nosso substituto, da mesma maneira que o carneiro era o substituto para Isaque, quando seu pai Abraão estava levantando o cutelo. Mas a última coberta era de peles de texugo. Também apontam a Jesus Cristo.

Como as peles de texugo não tinham nenhuma atrativo exterior na sua aparência, assim Jesus era um Israelita normal, um homem com nada atraente, nada que fizesse pensar que fosse o Rei de reis. Ele era humilde em caráter.

Ninguém tinha qualquer ideia do que o Jesus se parecia, a não ser que Ele tinha uma barba, porque Isaías falou da sua barba sendo arrancada.

Artigo Relacionado  Lugar Santíssimo: Compreendendo o Significado Profundo do Santuário

Ele era um judeu e tinha uma barba, e isso é tudo aquilo pode ser extraído da Bíblia e da história. Mas a sua aparência era a mesma de qualquer Israelita.

Em todo o tabernáculo havia uma clara semelhança com Jesus Cristo. A pessoa que olha para a sua aparência exterior ou aparência física, jamais percebe a maravilhosa beleza que está em Jesus.

1 – Como Isaías profetizou:

Is 53:2 “Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.”

2 – Isaías falou de Cristo:

Is 33:17 “Os teus olhos verão o rei na sua formosura…”

3 – Ele realmente era uma oferta pelo pecado

2 Co 5:21 “Àquele que não conheceu pecado, o fez pecado por nós; para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.”

4 – Mt 27:46 “E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo:

Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

5 – Ele é o nosso substituto

Hb 2:9 “Vemos, porém, coroado de glória e de honra aquele Jesus que fora feito um pouco menor do que os anjos, por causa da paixão da morte, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.”

6 – Jo 1:29

“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”

7 – Is 53:6

“Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniquidade de nós todos.”

8 – Is 53:2-3

“Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos. Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.”

9 – Mt 13:13

“Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem.’

10 – Mt 13:16-17

“Mas, bem-aventurados os vossos olhos, porque vêem, e os vossos ouvidos, porque ouvem. Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não o viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram.”

Conclusão

Portanto, o autor de Hebreus nos diz que nós também temos o privilégio de entrar no Santo dos Santos, pelo sangue de Jesus (10.19-20).

Ele nos mostra ainda que a cortina representava o corpo de Cristo, com o derramamento de seu sangue, essa cortina foi rasgada e o caminho para a presença de Deus foi restaurado. Os querubins guardiões com a espada flamejante foram removidos. O que foi perdido em Adão foi recuperado em Cristo.

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.