A degeneração da Liderança Sacerdotal

A degeneração da Liderança Sacerdotal

A degeneração da Liderança Sacerdotal

 Se Eli tinha tudo para ser um grande sacerdote, seus filhos também tinham tudo para ser grandes filhos. Eles eram sacerdotes, por linhagem, e tinha toda a condição de terem um crescimento espiritual constante e maduro.

Poderiam, ainda, ser grandes juízes, como seu pai, mas destacaram pelo negativo. Tinham seu pai como referência, mas ainda assim não o seguiram. Não sabemos ao certo os motivos, mas basta observar um pouco a relação entre pais e filhos para perceber que algo de errado havia.

Apesar de serem sacerdotes, eram profanos, fazendo o povo pecar, cometendo abominações e se aproveitando da condição de sacerdote para cometerem ainda mais pecados e abominações.

Texto Bíblico (1 Samuel 2.22-25; 3.10-14)

O Sacerdote Eli fracassou como pai

Todo ser humano necessita da disciplina. A disciplina treina-o a agir de acordo com o que é correto, do modo mais benéfico. Ao encararmos a vida, defrontamo-nos com situações variadas, algumas delas novas para nós, e não poucas delas, provadores.

Passarmos por tais experiências nos educa. Uma vez que isso se dá mesmo com os adultos, uma criança necessita de muito mais disciplina. Toda experiência é nova para ela. Além disso, devido à herança proveniente de pais imperfeitos, “a tolice está ligada ao coração do rapaz; a vara da disciplina é a que a removerá para longe dele”. — Pro. 22:15.

Por esta razão, Deus declara aos pais a grande importância de se ensinar os filhos a serem cumpridores da lei, a se manterem moralmente limpos e a terem amor a Deus. Se não aprenderem estes princípios pelo ensino verbal dos pais, mas forem desobedientes e indisciplinados, terá de se aplicar alguma forma de disciplina.

Falta de firmeza, ou falhar em fazer isso, resultará em crianças que, mais tarde, não darão nenhuma atenção aos pais, e isto pode resultar em grande calamidade tanto para as crianças como para os pais.

Observação:

“A razão do fracasso de Eli em lidar com a imoralidade de seus filhos pode ser explicada parcialmente em função de sua idade avançada.

Artigo Relacionado  O Lugar Santíssimo

Tal imoralidade era agravada por ser cometida no próprio Tabernáculo. A presença de mulheres ligadas ao funcionamento do Tabernáculo é expressa em Êxodo 38.8.

O escândalo era evidente (2.24). A advertência de Eli a seus filhos abrangia tanto o efeito da conduta deles sobre os outros – fazei transgredir o povo do Senhor (24) – como as consequências sobre eles mesmos (25). A conduta ética imprópria – o pecado de um homem contra outro – poderia ser julgado nas cortes da lei; mas o pecado religioso contra Deus seria punido pelo próprio Senhor.

Pelo fato de o termo hebraico traduzido como juiz ser há-Elohim, que também significa “Deus”, a ARA e outras traduções modernas trazem: ‘Pecando o homem contra o próximo, Deus lhe será o árbitro’, ou ‘Deus o julgará’” (Comentário Bíblico Beacon:2 Josué a Ester. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.183).

Uma família não agrada a Deus apenas pela tradição

Os filhos de Eli cresceram em meio às atividades do santuário do Senhor. Conheciam cada detalhe e sabiam que no futuro estariam assumindo as funções do pai. Só que o mais importante eles desconheciam, o caráter de Deus e suas exigências.

Eles eram ímpios e por isso foram reprovados. “Filho de peixe, peixinho é. Mas filho de crente, crentinho não é”! Essa é uma afirmação “engraçadinha” e real. Deus não aprova uma pessoa por sua tradição familiar. 3 “Aquele que pecar, esse morrerá; o filho não levará a culpa do pai, nem o pai levará a culpa do filho.

A justiça do justo estará sobre ele, e a impiedade do ímpio cairá sobre ele”. Eli falhou ao achar que as coisas se ajeitariam automaticamente. Não podemos dizer que ele foi totalmente negligente, mas certamente cometeu o erro de não comunicar aos seus filhos as verdades espirituais que conhecia.

Mesmo que seus filhos se encaixassem no perfil dos filhos que não ouvem os conselhos dos pais, não podemos isentá-lo totalmente de culpa. Devemos lembrar que a tradição foi um dos empecilhos do jovem rico que virou as costas para Jesus.

Artigo Relacionado  A natureza dos Anjos - A beleza do Mundo Espiritual

Ele achava que sabia tudo, mas desconhecia o principal, e por isso não teve forças para seguir o nosso Mestre (Lucas 18). (Ez 18.20). Mais do que o ambiente eclesiástico, nossos filhos precisam conhecer o Senhor da igreja e seus princípios revelados na Bíblia Sagrada.

OBS: “Deveríamos estar dispostos a verificar constantemente a temperatura espiritual das pessoas pelas quais somos responsáveis, em especial pelos nossos filhos.” (J. Otis Ledbetter).

Eli se acomodou a uma vida dupla

Eli se acostumou a uma tragédia muito comum em nossos dias. Fora de casa um homem bem-sucedido. Dentro de casa um pai rejeitado, omisso e incapaz de colocar as coisas no seu devido lugar.

Suas técnicas funcionaram com Samuel, mas não funcionaram com os da sua própria casa. Os de fora o ouviam, já os de casa… O que será que aconteceu? Por quê? Jamais saberemos!

Não podemos nos acostumar a viver uma vida fora e outra dentro da igreja. Precisamos ser íntegros, mostrando transparência em nossos relacionamentos. Os pais ensinam mais com o exemplo do que com as palavras. Um filho valoriza mais o que vê do que o que ouve.  

Quando as coisas não vão bem, não podemos fingir que estão bem. Talvez seja hora de pedir ajuda. Mas infelizmente em algumas famílias cristãs são comuns os comentários depreciativos sobre a igreja e sua liderança.

 “Preserve a imagem da igreja e de seus oficiais junto aos seus filhos. Um dia você poderá precisar deles para ajudá-lo com seus filhos”. http://batistafluminense.org.br/revista/documentos/palavraevida_3_ano_2013_tipo_1_capitulo_11.pdf

Observação:  

“Prova de Samuel (3.1-17). A primeira mensagem que Samuel deveria entregar serviu como uma prova severa. Ele tinha um íntimo e afetivo relacionamento com Eli. Passaria ele a mensagem de iminente condenação com total honestidade? Em sua prova, Samuel prefigura o ministério de muitos dos profetas que o seguirão.

A maioria dos profetas do AT foi chamada para advertir Israel da vinda dos julguemos divinos! Os profetas não foram especialmente populares no tempo em que viveram!” (RICHARDS, Lawrence. O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p.182).

Os filhos de Eli pagam pelas suas maldades

A Bíblia descreve os filhos do sacerdote Eli, como filhos de Belial, “Era, porém, os filhos de Eli filhos de Belial; não conheciam ao SENHOR. (1 Sm 2. 12), a expressão significa que os filhos do sacerdotes eram pessoas más, sem nenhum valor (1 Sm 30. 22), que não conheciam ao Senhor Deus, apesar e ter acesso a lei e estarem constantemente servindo no templo, isto nos mostra que eles não possuíam qualquer conhecimento íntimo e pessoal com o Deus vivo e verdadeiro, é o que podemos deduzir, pelo que a palavra de Deus descreve das atitudes e obras destes rapazes, pois era inaceitável para um filho do sacerdote que fora criado no templo e tinha como tarefa por hereditariedade e unção de Deus da continuidade as atribuições do seu pai na apresentação do sacrifício diante do altar do Senhor, pois estes se apoderavam indevidamente de porções do sacrifício, mesmo antes do Senhor receber a parte que Lhe era devida (I Sm 2. 12-17), tratando a oferta ao Senhor como coisa vil, alem de se prostituirem  com as mulheres que, por causa deles se ajuntavam em bandos  na porta do templo, pecando e fazendo o povo pecar.

Artigo Relacionado  Sermão: A liderança sob a autoridade de Deus

Portanto encontramos neste texto o Sacerdote Eli, repreendendo os seus filhos por suas más obras, porem entendemos que o Pai Eli, foi muito condescendente com os seus filhos, e até negligente quando ao ensino dos mandamentos de Deus a seus filhos, pelo que Deus contemplando a maldade dos filhos de Eli, lhes impõe uma sentença trágica, alem deles perderem a vida, a Arca da Aliança do Senhor foi tomada pelos filisteus, e o próprio sacerdote ao saber das noticias trágicas da morte dos filhos e da tomada a Arca do Senhor, caiu de uma cadeira em que estava assentado e expirou tomado Deus juízo sobre as maldades praticadas pelos filhos de Eli, sobre a conivência do pai. http://ebdalunosemestres.blogspot.com/2012/09/as-maldades-dos-filhos-de-eli-quinta.html

Conclusão

Assim Deus puniu a casa de Eli, e fez a Samuel sacerdote em seu lugar. Logo entendemos que aqueles que praticam a maldade, e se deviam para a iniquidade, Deus os contempla e jamais se deixara escarnecer, há seu tempo se voltará para os tais trazendo sobre eles o justo juízo, portanto fiquemos com advertências do sacerdote Eli: Pecando homem contra homem, os juízes o julgarão; pecando, porém, o homem contra o SENHOR, quem rogará por ele? (1 Sm 2. 25). Deus tenha misericórdia de nós!

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.