Ídolos na Família

Ídolos na Família

Ídolos na Família

Idolatria é um dos temas mais tratados nas Escrituras. Embora a noção de idolatria esteja associada ao culto e a criação de imagens, as Escrituras descrevem a idolatria como um problema do coração do homem. A adoração de ídolos é a expressão de um abandono prévio de YHWH seu Deus. Todo ser humano é um adorador.

A questão crucial é a quem ele adora? Em quem ele busca seu prazer? Coração é o termo bíblico mais compreensivo para aquilo que determina nossa direção de vida, comportamento, pensamentos, etc. O pecado essencial do coração humano é a rebelião contra Deus, manifestado pela idolatria, adoração e servidão a alguma coisa – desejo, objeto, pessoa, atividade, posição – que não Deus.

Texto Bíblico (Gênesis 31).

V, 17 – Então, se levantou Jacó, pondo os seus filhos e as suas mulheres sobre os camelos,

V, 18 – e levou todo o seu gado e toda a sua fazenda que havia adquirido, o gado que possuía, que alcançara em Padã-Arã, para ir a Isaque, seu pai, à terra de Canaã.

V, 19 – E, havendo Labão ido a tosquiar as suas ovelhas, furtou Raquel os ídolos que seu pai tinha.

V, 33 – Então, entrou Labão na tenda de Jacó, e na tenda de Leia, e na tenda de ambas as servas e não os achou; e, saindo da tenda de Leia, entrou na tenda de Raquel.

V, 34 – Mas tinha tomado Raquel os ídolos, e os tinha posto na albarda de um camelo, e assentara-se sobre eles; e apalpou Labão toda a tenda e não os achou.

V, 35 – E ela disse a seu pai: Não se acenda a ira nos olhos de meu senhor, que não posso levantar-me diante da tua face; porquanto tenho o costume das mulheres. E ele procurou, mas não achou os ídolos.

(Juízes 17)

V, 1 – E havia um homem da montanha de Efraim cujo nome era Mica,

V, 3 – Assim, restituiu as mil e cem moedas de prata à sua mãe; porém sua mãe disse: Inteiramente tenho dedicado este dinheiro da minha mão ao Senhor para meu filho, para fazer uma imagem de escultura e de fundição; de sorte que agora to tornarei a dar.

V, 4 – Porém ele restituiu aquele dinheiro a sua mãe, e sua mãe tomou duzentas moedas de prata e as deu ao ourives, o qual fez delas uma imagem de escultura e de fundição, e esteve em casa de Mica.

V, 5 – E tinha este homem, Mica, uma casa de deuses, e fez um éfode e terafins, e consagrou a um de seus filhos, para que lhe fosse por sacerdote.

Mica e a idolatria Familiar (Jz 17.1-13)

1- A afirmação da idolatria familiar (Jz 17.1).

Havia um homem da região montanhosa de Efraim cujo nome era Mica. O capítulo 17 de Juízes expõe a história de um ladrão confesso de sua própria mãe, que tomou-lhe indevidamente mil e cem ciclos de prata. A confissão de Mica está mais para alguém assustado com uma possível maldição do que propriamente arrependido de sua ação. Igualmente, sua mãe, ao invés de discipliná-lo, reafirmando o ensino de inegociáveis balizas morais, mostra-se conivente com o erro e até o abençoa (Jz 17.2). Não havia zelo espiritual naquela família, mas pura religiosidade exterior.

Artigo Relacionado  O Milagre está em sua Casa para abençoar

A degradação religiosa não parou por aí: ao ser restituída, a mãe de Mica dedicou os mil e cem ciclos de prata ao Senhor. Entre­tanto, quando do efetivo cumpri­mento do voto, ofertou apenas uma parte desse dinheiro (duzentos siclos de prata) e, para piorar a situação, entregou esse valor ao ourives a fim de que fosse confeccionada uma imagem de escultura e uma de fundição para serem alojadas no interior de sua própria casa (Jz 17.3-5). Violação clara a Lei de Deus ( Êx 20.3-6). Cada qual fazia o que achava certo aos seus próprios olhos (Jz 17.6).

2- O agravamento da idolatria familiar (Jz 17.10).

“… Fica comigo e sê-me por pai e sacerdote… Não bastasse os horripilantes atos já cometidos, Mica vai mais fundo em sua degradação religiosa ao consagrar um de seus filhos “para que lhe fosse por sacerdote”(Jz 17.5). Com isso, Mica praticou, no mínimo, três irregulari­dades religiosas:

I) O pai devia ser o líder religioso da casa (Dt 6.7; J6 1.5);

II) Somente descendentes de Arão podiam ser sacerdotes (Ex 40.12-15);

III) Os sacerdotes deviam dedicar-se a toda a comunidade de Israel e não a indivíduos ou famílias.

– Mas o pecado conduz o homem a situações cada vez mais deploráveis (SI 42.71; Lc 15.11-16). Não satisfeito, Mica não perde a oportunidade de contratar um levita para oficiar como sacerdote em sua residência (Jz 17.7-12), tudo com o objetivo de tentar legitimar seu santuário particular, apesar do evidente descompasso de sua expressão de com as revelações da Palavra do Senhor.

3- A cegueira da idolatria familiar (Jz 17.13).

Então disse Mica: Sei, agora, que o Senhor me fará bem, porquanto tenho um levita por sacerdote. Neste momento da narrativa bíblica, Mica considera que sua religiosidade enfim seria recompensada pelo Senhor. Afinal, agora tinha seus ídolos, seu santuário e um levita consagrado como sacerdote e devidamente remunerado para isso (Jz 17. 10,13). Contudo, Mica tinha um zelo apenas exterior, construindo todo um cenário de aparência de adoração.

Seu propósito era o benefício próprio e sua motivação estava baseada não na fé, mas na superstição, praticando uma religiosidade superficial misturada com péssimos costumes espirituais dos povos pagãos. Interessante perceber que o colapso espiritual da família de Mica não se materializou em ateísmo (negação da existência de Deus). Antes, pelo contrário, concretizou-se por meio de uma religiosidade descompromissada, sem crítica e hipócrita, sem abandono do pecado e com franco desprezo pela Palavra de Deus.

Sem dúvida, as expectativas de Mica eram completamente equivocadas, pois devemos adorar o Senhor não conforme o que achamos como certo ou errado, tampouco de qualquer maneira, mas em espírito e em verdade (Jo 4.23-24).

Argumento Teológico

O Santuário Particular de Mica – “Somos primeiramente apresentados a uma família que vive no território de Efraim, cujo filho Mica roubara 1.100 peças de prata de sua mãe. […] A restituição promovida por Mica não foi por arrependimento voluntário, mas porque sua mãe lançara maldições contra o ladrão, e um homem bastante supersticioso certamente temeria manter para si um ganho obtido desonestamente sob maldição. Em retribuição, a mulher consagrou a prata ao Senhor para fazer uma imagem de escultura e de fundição, ou seja, um ídolo. Esta associação de idolatria com o nome do Senhor é uma triste constatação do alcance da corrupção promovida pela religião cananeia sobre a adoração pura a Deus.

Artigo Relacionado  O Poder da Evangelização na Família

A imagem de fundição, um termo que também significava “cobertura”, pode ter sido um tipo de revestimento com o mesmo formato do ídolo que ela guardava. A mãe separou 200 peças do montante recuperado e entregou a um ourives que fez a imagem e sua cobertura. Mica fez um santuário com um éfode (para ser usado por um sacerdote enquanto estivesse diante do santuário) e terafins, e então consagrou a um de seus filhos, para que lhe fosse por sacerdote… A anarquia civil e religiosa é explicada com base no fato de que não havia rei em Israel naqueles dias para instruir o povo.

Como consequência, cada homem fazia o que achava certo. Este é o abismo no qual qualquer pessoa mergulha mais cedo ou mais tarde se abandonar os princípios morais e absolutos e a autoridade das Escrituras” (MULDER, Chester O. et al. Comentário Bíblico Beacon – Volume 2: Josué a Ester. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, pp.146-47).

Os Ídolos no Lar de Jacó e Raquel e suas Consequências

Gênesis 31.19 “Enquanto Labão tinha ido fazer a tosquia das ovelhas, Raquel roubou os ídolos do lar que pertenciam a seu pai.”

–  Raquel servia ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó seu esposo, mas ainda acreditava em ídolos do lar que seu pai tinha guardado. Estes ídolos representam pecados, costumes, e heranças espirituais das famílias, que os filhos aprendem de seus pais. Muitos crentes servem a dois senhores (Mateus 6.24) e por isso desagradam a Deus. Guardam pecados ocultos (Salmos 19.12) e fazem coisas escondidas pensando que ninguém vê, mas que Deus sabe (Marcos 4.22).

1- O que são os ídolos do lar? Gênesis 31.30-35

Os Terafins¹, ou ídolos do lar eram imagens de ídolos que eram carregados como amuletos para cura e prosperidade. Este ídolo acompanhava as famílias por gerações e representava as terras da família como um protetor espiritual. Quem detivesse o ídolo da família teria direito à maior parte da herança. Jacó amaldiçoou quem tivesse ocultado estes ídolos (Mateus 6.24) e certamente não aprovaria de forma alguma se soubesse que Raquel teria feito isso, o que a motivou fazer escondido.

Ídolo significa coisa vã ou inútil (I Coríntios 10.19). Idolatria é colocar qualquer outra coisa no lugar de Deus e supervalorizar algo de forma espiritual. Os demônios usam a idolatria para enganar as pessoas (I Coríntios 10.20). Os ídolos do lar hoje são: superstições, misticismo, simpatias, o dinheiro que é um deus deste mundo (I Timóteo 6.10), o prazer da carne, mentiras, coisas que se fazem em oculto (Efésios 5.12), o fanatismo por futebol ou política, tradições familiares e a internet que tem dominado muitas pessoas. Peça ao Espírito Santo que te mostre se há ídolos em seu lar!

2- Consequências dos ídolos no lar: Gênesis 35.1-5 e 16-19

Jacó mandou tirar os ídolos do lar que houve no meio de seu povo (v.2). A partir daquele momento Jacó determinou que não aceitaria nenhum mal no meio de sua família. Precisava se purificar para receber a promessa de Deus. Quando Jacó se desfez dos ídolos enterrando-os debaixo de uma árvore em Siquém, veio “o terror de Deus” (v.5) sobre os povos da região, mostrando que Deus não se agrada da idolatria. Aqueles ídolos do lar estavam atrasando a bênção sobre a família de Jacó. Raquel sofreu com a esterilidade e com muito sofrimento conseguiu ter seu filho José e depois morreu ao dar a luz para Benjamim.

Artigo Relacionado  Vivendo de forma Moderada em Jesus Cristo

Algumas consequências dos ídolos do lar são a ira de Deus (v.5), sofrimento (v.16) e a morte (v.18) que é consequência do pecado (Romanos 6.23). Em muitas famílias as pessoas trocam o cuidado com os filhos por prazeres e vaidades, fazendo destas coisas seus ídolos e por isso perdem os filhos, deixando de educa-los no caminho do Senhor (Provérbios 6.22). Não permita que o sofrimento e o pecado entrem em sua casa! Retire os ídolos de seu lar!

Argumento x Religião

Monoteísmo x Politeísmo – “O monoteísmo, a crença em um único Deus, era uma característica da religião hebraica. As antigas religiões eram politeístas, ou seja, cultuavam muitos deuses. Mas o Deus de Abraão, Isaque e Jacó é o Criador e Senhor de toda terra, o único e verdadeiro Deus. Saber isto era importante para Israel, pois a nação estava prestes a entrar em uma terra cujos habitantes criam em muitos deuses.

Tanto naquela época como hoje, existem os que preferem colocar sua confiança em muitos “deuses” diferentes. Mas chegará o dia em que Deus será reconhecido como o único. Ele será Rei sobre toda a terra (Zc 14.9). […] O Diabo ofereceu o mundo inteiro a Jesus, desde que Ele ‘apenas’ se ajoelhasse e o adorasse (Mt 4.8-10). Hoje, o Diabo nos oferece o mundo, tentando envolver-nos pelo materialismo, na busca pelo poder. Podemos resistir às tentações do mesmo modo que Jesus fez. Se você almeja algo que o mundo oferece, cite as palavras de Jesus ao Diabo: ‘Ao Senhor, teu Deus adorarás e só a Ele servirás’” (Bíblia de Aplicação Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 1995, pp. 240,1220).

Conclusão

I Coríntios 10.14 “Portanto, meus amados, fugi da idolatria”. Deus abomina a idolatria (I Samuel 15.22), que é uma obra da carne (Gálatas 5.20). Quando a pessoa se entrega à idolatria está abandonando a Deus em troca de coisas vãs (Jonas 2.8). Não podemos usar como desculpas questões familiares para abandonar ao Senhor (Lucas 14.16-24). Se você descobrir qualquer coisas que é abominável em seu lar você deve destruir (Deuteronômio 7.25,26), mas primeiramente precisa que em seu coração esteja a confiança plena em Deus acima de todas as coisas (Marcos 12.30). Quando Deus for o único Senhor de sua casa tudo o mais tomará seu devido lugar e as coisas estarão em ordem (Salmo 37.5 e Mateus 6.33). Retire todos os ídolos de seu lar!

 

– Bibliografia

– A Bíblia Plenitude – E.R.C.

– A Bíblia de Estudos das profecias. E.R.A.

– Dicionário Online

– Apontamentos Teológico do Autor

1° Trimestre De 2023 | Tema: JUÍZES E RUTE – Historias do Passado; Alerta para o Presente | Escola Biblica Dominical | Lição 08: Juízes 17 e 18: A Idolatria de Mica e da Tribo de Dã.

-https://www.igrejafonte.org.br/_fonte/conteudo/escolabiblica/1110-2aconselhamento@5-1.pdf

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.