Rute: Deus trabalha pela Família

Rute: Deus trabalha pela família

RUTE: DEUS TRABALHA PELA FAMÍLIA

 

A história de Rute desenrola-se durante o período dos juízes. Ela revela que durante a deplorável apostasia moral e espiritual daqueles dias, havia um remanescente fiel que continuava a amar e obedecer a Deus.

O livro salienta o fato de que Deus opera na vida daqueles que permanecem fiéis a Ele e à sua Palavra.” Para conhecer mais leia, Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, p.422.

 

I – TEXTO BÍBLICO

Rute 1.1-14

1 – E sucedeu que, nos dias em que os juízes julgavam, houve uma fome na terra; pelo que um homem de Belém de Judá saiu a peregrinar nos campos de Moabe, ele, e sua mulher, e seus dois filhos.

2 – E era o nome deste homem Elimeleque, e o nome de sua mulher, Noemi, e os nomes de seus dois filhos, Malom e Quiliom, efrateus, de Belém de Judá; e vieram aos campos de Moabe e ficaram ali.

3 – E morreu Elimeleque, marido de Noemi; e ficou ela com os seus dois filhos,

4 – os quais tomaram para si mulheres moabitas; e era o nome de uma Orfa, e o nome da outra, Rute; e ficaram ali quase dez anos.

5 – E morreram também ambos, Malom e Quiliom, ficando assim esta mulher desamparada dos seus dois filhos e de seu marido.

6 – Então, se levantou ela com as suas noras e voltou dos campos de Moabe, porquanto, na terra de Moabe, ouviu que o SENHOR tinha visitado o seu povo, dando-lhe pão.

7 – Pelo que saiu do lugar onde estivera, e as suas duas noras, com ela. E, indo elas caminhando, para voltarem para a terra de Judá,

Continua…

8 – disse Noemi às suas duas noras: Ide, voltai cada uma à casa de sua mãe; e o SENHOR use convosco de benevolência, como vós usastes com os falecidos e comigo.

9 – O SENHOR vos dê que acheis descanso cada uma em casa de seu marido. E, beijando-as ela, levantaram a sua voz, e choraram,

10 – e disseram-lhe: Certamente, voltaremos contigo ao teu povo.

11 – Porém Noemi disse: Tornai, minhas filhas, por que iríeis comigo? Tenho eu ainda no meu ventre mais filhos, para que vos fossem por maridos?

12 – Tornai, filhas minhas, ide-vos embora, que já mui velha sou para ter marido; ainda quando eu dissesse: Tenho esperança, ou ainda que esta noite tivesse marido, e ainda tivesse filhos,

13 – esperá-los-íeis até que viessem a ser grandes? Deter-vos-íeis por eles, sem tomardes marido? Não, filhas minhas, que mais amargo é a mim do que a vós mesmas; porquanto a mão do SENHOR se descarregou contra mim.

14 – Então, levantaram a sua voz e tornaram a chorar; e Orfa beijou a sua sogra; porém Rute se apegou a ela.

Pequena Joia

O livro de Rute já foi descrito como uma pequena joia, uma obra-prima em miniatura. É verdade que esse livro não é tão extenso nem tão abrangente quanto o livro de Juízes, que o antecede e que fornece seu fundo histórico. (Rute 1:1) Tudo indica que os dois livros foram escritos pelo profeta Samuel. Mas, ao ler a Bíblia, você talvez concorde que o livro de Rute ocupa o lugar certo no cânon da Bíblia.

Depois de ler sobre guerras, invasões e retaliações no livro de Juízes, nos deparamos com esse pequeno livro que nos lembra que Deus está sempre atento às pessoas pacíficas que lutam com os problemas do dia a dia. Esse breve drama familiar ensina grandes lições sobre amor, perda, fé e lealdade, que podem beneficiar a todos nós. https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/verdadeira-fe/rute-e-noemi/

II – INTERAÇÃO

A família de Elimeleque teve que deixar Belém devido a uma grave crise econômica. Era tempo de escassez. A crise era resultado da desobediência dos israelitas para com o Senhor no tempo dos juízes. Um tempo difícil, onde cada um fazia aquilo que parecia ser bom aos seus próprios olhos. A falta de temor e observância da lei trouxe sérios prejuízos espirituais e financeiros para Israel.

A família de Elimeleque muda-se para Moabe na esperança de ter dias melhores. Mas, ali Elimeque morre e é enterrado. Seus dois filhos também vieram a falecer em Moabe. Noemi, a esposa de Elimeleque teve que enfrentar a perda do marido e dos filhos. Mas crises ainda piores estavam por vir.

Todavia, Deus lhe concedeu um escape; uma nora que a amou e a acolheu em tempos de amargura. Noemi e Rute voltam para Belém, trabalham, mantém a fé em Deus e são grandemente abençoadas. Todos nós enfrentamos momentos de dor e aflição. Mas a nossa fé nos faz avançar, trabalhar e ver o impossível sendo realizado. Diante das adversidades, não desanime, não pare.

Obs.: Deus trabalha em favor da família. Rute cresceu em Moabe, um pequeno país ao leste do mar Morto. A região era composta basicamente de planaltos pouco arborizados, cortados por vales profundos. Os “campos de Moabe” em geral eram férteis, mesmo quando a fome assolava  Israel. De fato, foi por isso que Rute conheceu Malom e sua família. — Rute 1:1.

 

II – ARGUMENTO BIBLIOLÓGICO

“A história de Rute desenrola-se durante o período dos juízes. Ela revela que durante a deplorável apostasia moral e espiritual daqueles dias, havia um remanescente fiel que continuava a amar e obedecer a Deus. O livro salienta o fato de que Deus opera na vida daqueles que permanecem fiéis a Ele e à sua Palavra.

Noemi experimentou grande adversidade.

(1) Ela e  a sua família sofreram os efeitos  da fome, e tiveram que  abandonar sua própria casa. Além disso, ela perdeu seu marido e seus dois filhos. Parecia que o Senhor a abandonara e até mesmo se voltara contra ela.

(2) A história de Rute, no entanto, revela que Deus continuava cuidando dela, inclusive agindo através de terceiros, para socorrê-la em suas necessidades. Como no caso de Noemi, o crente fiel  e leal a Cristo pode experimentar grandes adversidades na sua vida. Tal fato não significa que Deus o abandonou ou que está castigando. As Escrituras frisam, repetidas vezes, que Deus continua, com todo o amor, a fazer todas as coisas cooperarem para o nosso bem em tempos de aflição” (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 422).

Imagine Rute seguindo os ceifeiros. À medida que eles cortavam a cevada com suas foices de pedra, ela se abaixava para pegar o que caía ou o que eles deixavam para trás. Depois, amarrava as hastes em feixes e os carregava para um lugar onde mais tarde pudesse debulhar os grãos.

Era um trabalho lento e cansativo que ficava cada vez mais difícil com o passar do dia. Mas Rute continuava a trabalhar, parando apenas para enxugar o suor do rosto e tomar uma refeição simples “na casa”, talvez um abrigo que provia sombra para os trabalhadores. Lei de Moisés (Lv. 19:9, 10; Dt. 24:19-21).

 

III – ARGUMENTO TEOLÓGICO

A declaração de Rute (1.16,17)

A famosa expressão de compromisso de Rute à sua sogra não somente demonstra lealdade a uma amiga, mas também esclarece um aspecto teológico. Rute disse ‘seu povo será o meu povo’ antes de dizer ‘e seu Deus será o meu Deus’. Nos tempos do Antigo Testamento, Deus tinha um relacionamento de aliança somente com Israel. Ao identificar-se com o povo da aliança, Rute qualificou-se ao proclamar o Deus de Israel.

Em lugar de fazer Noemi feliz, os envolvimentos familiares e velhos amigos tornaram a aflição de Noemi mais intensa. Podemos entender porquê. Voltar para casa depois da morte de um ente querido é igualmente fazer-nos sentir nossa perda. Nosso lar parece vazio, o silêncio é escurecedor.

De repente somos esmagados pela aflição, pela ausência. Nossos queridos é que fazem de nossa casa o ‘lar’. Aos olhos de Noemi, que deixara Belém com um marido e dois filhos, o retorno trouxe-lhe à consciência a brutal extensão de sua perda” (RICHARDS, Lawrence. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, p. 175).

Obs.: Fé em Deus e trabalho são fundamentais para vencer as crises. Leia mais sobre a Fidelidade de Deus.

 

IV – ARGUMENTO BÍBLICO

Em uma pequena comunidade, a história de Rute e Noemi seria de domínio público, o alvo das atenções. Agora, os eventos mostravam Rute trabalhando arduamente (Rt 2.7): reverenciosa (Rt 2.10), recatada, bem-agraciada (Rt 2.13). A reputação que construímos abre, ou fecha, portas para a oportunidade.

A declaração de Boaz abençoando Rute pode ser considerada uma oração (Rt 2.12). ‘Recompensa’ aqui é maskoret, uma palavra com sentido de ‘salários’. Boaz credita a Rute o melhor, por sua piedade e escolha do Deus de Israel, e está convencido de que um Deus justo providenciar-lhe-á a justa recompensa.

Disse tudo isso saber que seria ele próprio o instrumento para esta resposta. Deus, frequentemente, usa como seu agente aquele que ora para responder tal oração” (RICHARDS, Lawrence. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, p. 176).

 

CONCLUSÃO

O relato de Rute nos lembra que tragédias e perdas acontecem tanto a pessoas boas e honestas como a pessoas más. (Ec. 9:2, 11) Mostra também que, diante de uma perda difícil de suportar, é bom recorrer ao consolo de outros — especialmente dos que se refugiam em Jeová, o Deus de Noemi.

 

REFERÊNCIAS

– Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD.

– Bíblia Palavra Chave (ARC)

– Apontamentos Teológicos do Autor

– Dicionário da Língua Português Online

https://www.jw.org/pt/publicacoes/livros/verdadeira-fe/rute-e-noemi/

– RICHARDS, Lawrence. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD

– Wikipédia, a enciclopédia livre.

Comentário Pastor Josaphat Batista – Pr. Presidente da Assembleia de Deus em Ibotirama-Bahia. Pós-Graduado em Docência do Ensino Superior. Bacharel em Teologia convalidado pelo MEC. Membro do CEECRE (Conselho Estadual de Educação e Cultura Religiosa da CEADEB). Diretor da ESTEADI (Escola Teológica da Assembleia de Deus em Ibotirama). Presidente do Conselho de Pastores e Líderes Evangélicos de Ibotirama (CONPLEI). Conferencista, Seminarista, Escritor e fundador dos Congressos EBD no Campo de Camaçari-Ba.

 

Deixe seu comentário
Rute: Deus trabalha pela Família
Tagged on: