A Predileção dos Pais por um dos Filhos

A predileção dos pais por um dos filhos

A Predileção dos Pais por um dos Filhos

“E amava Isaque a Esaú, porque a caça era do seu gosto, mas Rebeca amava a Jacó.” (Gn 25.28)

Verdade Prática

A preferência de filhos dentro do lar gera divisão e promove o egoísmo na formação deles.

Texto Base Gênesis 25.19-28

O Plano de Deus para a Família e sua Presciência

1- O Plano divino para a família de Isaque e Rebeca

Deus estabeleceu uma aliança com Abraão, prometendo que sua descendência seria numerosa e abençoada (Gn 12.1-3; 15.1-6). Essa aliança foi passada a Isaque (Gn 26.2-5), que se casou com Rebeca, conforme a orientação divina (Gn 24.50-67). Através deles, Deus formaria uma nação escolhida, o povo de Israel. No entanto, o favoritismo dos pais por um dos filhos pode gerar problemas que afetam o propósito de Deus para a família (Gn 37.3-4).

2- O propósito presciente de Deus

Antes mesmo do nascimento de Esaú e Jacó, Deus revelou a Rebeca que os filhos teriam destinos diferentes e que o mais novo seria mais forte que o primogênito (Gn 25.23). Assim, Deus já sabia que Jacó seria o escolhido para levar adiante as promessas feitas a Abraão e Isaque. O Senhor deseja que os pais orientem seus filhos de acordo com Sua vontade, sem favoritismo (Dt 6.6-7; Ef 6.4).

Artigo Relacionado  A infância e a Educação de João Batista

O Conflito Familiar

1- A esterilidade de Rebeca

Rebeca enfrentou anos de esterilidade antes de engravidar (Gn 25.21). Isaque orou fervorosamente a Deus, e Ele atendeu ao seu pedido, permitindo que Rebeca concebesse. A gravidez, no entanto, não foi fácil, pois Rebeca sentia os filhos lutando dentro de seu ventre (Gn 25.22). A luta entre os irmãos começou antes mesmo de nascerem, devido à predileção dos pais.

2- O conflito: “E os filhos lutavam no ventre dela” (Gn 25.22)

A luta entre Esaú e Jacó começou ainda no ventre de Rebeca. A Bíblia relata que os filhos lutavam dentro dela, causando grande desconforto. Esta luta intrauterina simbolizava a disputa que ocorreria entre os irmãos durante toda a vida, sendo um exemplo de como o favoritismo pode gerar conflitos (Pv 28.21; Tg 2.1).

3- O favoritismo do casal pelos filhos

Isaque e Rebeca tinham preferências claras por seus filhos (Gn 25.28). Isaque amava Esaú por sua habilidade na caça, enquanto Rebeca tinha um vínculo especial com Jacó. Essa predileção dos pais criou um ambiente de competição e rivalidade entre os irmãos, gerando problemas familiares. A Bíblia nos adverte sobre a parcialidade e suas consequências, como visto na história de José e seus irmãos (Gn 37.3-4).

Artigo Relacionado  A sutileza das Ideologias contrárias à Família

O Problema da Predileção por Filhos na Família

1- Esaú, o filho predileto de Isaque

Esaú era o primogênito e, por isso, o herdeiro das promessas e bênçãos dadas a Abraão e Isaque (Gn 25.25). Ele era um homem habilidoso na caça, e seu pai, Isaque, admirava essa característica nele (Gn 25.28). O favoritismo de Isaque por Esaú criou uma divisão na família, pois Jacó, o irmão mais novo, se sentia inferior e rejeitado. A história de Esaú e Jacó nos mostra que o favoritismo pode levar a atitudes prejudiciais, como a venda do direito de primogenitura (Gn 25.29-34).

2- Jacó, o filho predileto de Rebeca

Rebeca amava Jacó, o filho mais novo (Gn 25.28), por sua inteligência e perspicácia. Ela acreditava que Jacó deveria ser o herdeiro das promessas e bênçãos dadas a Abraão e Isaque (Gn 25.23). Por isso, ela ajudou Jacó a enganar seu pai e obter a bênção destinada a Esaú (Gn 27.5-29). Essa ação aprofundou ainda mais a rivalidade entre os irmãos e desestabilizou a harmonia familiar. A Bíblia nos ensina a tratar todos os filhos com justiça e igualdade (Ml 2.10; Ef 6.9).

Artigo Relacionado  A Ética Cristã e o Planejamento Familiar

3- O problema da predileção pelos filhos

A preferência dos pais por um dos filhos gera divisão e promove o egoísmo na formação deles. Isaque e Rebeca favoreceram seus filhos prediletos, alimentando a competição e o ressentimento entre Esaú e Jacó. Esse problema familiar teve consequências duradouras, pois afetou a relação entre os irmãos e causou conflitos futuros entre seus descendentes (Gn 27.41-45). A Bíblia nos adverte sobre a importância de tratar todos os filhos com equidade e amor (1 Tm 5.21; Tg 2.9).

Conclusão

A história de Isaque, Rebeca, Esaú e Jacó nos ensina a importância de tratar todos os filhos de maneira igualitária e justa. O favoritismo e a predileção por um dos filhos geram divisões e conflitos familiares, além de promover o egoísmo na formação das crianças. Como pais, devemos aprender com os erros deste casal bíblico e nos esforçar para criar um ambiente de amor e apoio para todos os nossos filhos (Ef 6.4; Cl 3.21).

Sobre

Categorias

Categorias

Extras

No Portal você encontrará Comentários da EBD, Resumo de Livros e Esboços para Sermões

Subsídios para EBD
Sermões Bíblicos
Resumo de Livros

Dicas de Leitura
Subsídio para Missão

Aprenda Mais

Copyright © 2023 CTEC Vida Cristã. Todos os direitos reservados.